Quanto vale o poder?
Sexta, 30 de Setembro de 2016

Nesta coluna vou discorrer um pouco sobre o atual momento político que estamos vivendo no cenário local e regional, que são as eleições municipais de 2016. Diante de muitos fatos noticiados pela mídia sobre acontecimentos envolvendo o pleito eleitoral de 2016, vêm-nos algumas reflexões do tipo: a que custo determinadas pessoas querem chegar ao poder? Para que tanta disputa envolvendo falta de ética e de bons costumes? Será que essas pessoas estão mesmo imbuídas da intenção de fazer o bem para a comunidade onde estão pleiteando uma vaga no Executivo ou Legislativo? Por que não apresentar propostas, alternativas de geração de emprego e renda em vez de ataques? Será mesmo que essas pessoas querem trabalhar em prol do bem da comunidade? Para trazer melhores condições de vida para a população ou só estão pensando nos “benefícios” que o poder pode proporcionar? Vale muito a pena, antes de irmos às urnas no próximo domingo e selecionarmos as pessoas que vão administrar nosso município nos próximos quatro anos, fazermos uma análise do seu plano de governo, da sua conduta enquanto pessoa e cidadã da comunidade e, também, como foi sua postura e a de seus cabos eleitorais durante o período eleitoral. Sim, olhar também a conduta de seus cabos eleitorais, pois, se eleitos, serão essas pessoas que estarão ocupando cargos e sugerindo ações a serem implementadas. Nada mais justo que, antes de “selecionarmos” o melhor candidato(a) para, em nossa opinião, estar ocupando durante os próximos quatro anos vagas no Executivo ou Legislativo municipal, definirmos alguns critérios para escolhermos a pessoa A ou B. Atualmente, a classe política vive um dos piores momentos, haja vista todas as denúncias de roubos, desvios de dinheiro e tanta corrupção instalados em todas as esferas brasileiras, e nós, com o nosso título de eleitor, temos o poder e, em minha opinião, o dever de irmos melhorando esse atual cenário, de escolhermos para serem nossos representantes pessoas de bem, envolvidas com o bem da comunidade, e não aquelas pessoas que querem o poder a qualquer custo, pois se chegou ao atual cenário político instalado em nosso Brasil porque nós, eleitores, acabamos “vendendo” o nosso voto em troca de algum benefício pessoal e não votando na melhor proposta e opção para desenvolver o nosso município, Estado ou país. Precisamos resgatar a credibilidade e colocarmos em cargos públicos pessoas honestas, éticas, competentes e capazes de fazer uma gestão transparente e em prol de toda a comunidade que os elegeu e não apenas administrar para alguns, como se vê frequentemente por aí. Que possamos, antes de irmos às urnas no domingo, fazer uma pequena reflexão sobre os nossos selecionados para ocupar cargos no Legislativo e no Executivo, ver quais são seus reais interesses em estar ocupando o respectivo cargo. Sucesso a todos e até a próxima. 

Comentários