Que possamos ter o olhar de criança…
Segunda, 24 de Outubro de 2016

No dia 12 deste mês celebramos o feriado nacional em comemoração à Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, e o dia das crianças. Nesta coluna vou fazer uma pequena reflexão sobre a importância de mantermos viva a criança que temos dentro de nós e em muitas vezes agirmos e termos atitudes de crianças inocentes, que conseguem enxergar beleza em pequenos gestos e atitudes diárias. Você já observou o sorriso de uma criança? Como é alegre, cheio de energia e, aos poucos, contagia todos que estão ao seu redor? E quando nós conseguimos ter um sorriso assim em nosso dia a dia? Conseguimos contagiar as pessoas que estão ao nosso redor com nossa alegria e felicidade? Você já observou uma criança brincando? Como ela brinca feliz e alegre com seus amiguinhos! (é claro que, atualmente, há muitas crianças supermimadas que estão comprometendo a sua vida futura, segundo especialistas da área, mas não é dessas crianças que estou falando). E nós conseguimos estar alegres e animados diariamente? Qual foi a última vez que você fez um desenho? Qual foi a última vez que você colheu uma flor no jardim de sua casa e entregou para alguém? Perceba que a maioria das crianças, quando estão brincando ao ar livre e encontram qualquer tipo de flor, colhem uma e dão para alguém especial, geralmente sua mãe ou alguém que ela tem afinidade. Você já observou o desenho de uma criança? Como ele é alegre, colorido e cheio de imaginação! E nós estamos conseguindo desenhar o que queremos, buscar o que almejamos em nossa vida? E com quais cores estamos pintando e alegrando o nosso desenho chamado vida? Você já observou o seu guarda-roupa? Quais são as cores que mais predominam? Sabe que elas falam um pouco sobre você e seu estado emocional? Por que quando somos crianças ou compramos roupas para crianças sempre procuramos comprar cores alegres, com flores, bichinhos, etc., e, conforme vamos crescendo, começamos a comprar roupas com cores mais sólidas e, muitas vezes, nem tão alegres assim? Pensemos um pouco nisso e em como muitas vezes essas cores acabam interferindo em nosso estado emocional. Você já observou um grupo de crianças brincando, as quais, muitas vezes, acabam brigando umas com as outras, mas essa briga é momentânea, temporária, e logo estão brincando juntas novamente? Por que nós, adultos, não conseguimos agir assim em nosso dia a dia? Geralmente, quando brigamos com alguém ficamos remoendo, guardando mágoas, e isso só faz mal para nós mesmos, pois não nos leva a nada a não ser ao fato de precisarmos, num futuro bem próximo, tomar remédio para doenças causadas por isso. Que possamos a cada dia ter o olhar de uma criança, a bondade de uma criança, a inocência, o perdão e as atitudes de uma criança alegre e cheia de vida. Que possamos alimentar a criança que existe dentro de nós e nos faz mais felizes e alegres. Deixo aqui a dica de escutarmos “Utopia”, do Padre Zezinho, uma música que nos traz uma ótima reflexão e uma viagem ao tempo em que éramos crianças. 

Comentários