O que o futebol nos ensina
Sexta, 20 de Junho de 2014

Estamos vivenciando um dos maiores acontecimentos do mundo na área do esporte. A tão falada Copa do Mundo, acontecendo no Brasil. Quero trazer aqui algumas reflexões que podem perfeitamente serem comparadas e implementadas nas nossas empresas.  Você em sua empresa na função de diretor, proprietário ou gerente pode ser comparado como um treinador. Com qual treinador você mais se parece? Por quê? Você possui algumas das características do Felipão, técnico da seleção brasileira? Já parou para analisar o porquê os jogadores gostam tanto dele? Correm para abraçá-lo quando fazem gols, vibram e comemoram unidos. Os seus funcionários gostam de você? Da sua forma de agir e comandar a equipe? Sim? Não? Não sabe? Por que nunca se fez essa pergunta? Por medo? Por se achar a pessoa mais importante da empresa? Estamos vivendo na era do apagão de talentos, onde devemos valorizar, motivar e atrair os bons profissionais para a nossa empresa, para o nosso “time”. Como você procura montar/escolher/convocar o seu time? Por competência? Por indicação de alguém? Por proximidade? Como trabalha a motivação? A garra? O entusiasmo e o verdadeiro espírito de equipe? Fatores tão importantes de serem trabalhados diariamente nas nossas organizações. Você coloca toda a responsabilidade do sucesso da sua empresa sobre um único colaborador ou pessoa, como algumas pessoas da grande mídia nacional estão colocando sobre o Neymar na seleção brasileira? Como você analisa os seus concorrentes/adversários? Sabe quem são? Onde estão? O que possuem? Oferecem? Possui um esquema tático/uma estratégia para cada concorrente? Treina e prepara o seu “time” diariamente para vencer e se sobressair no mercado? Comemora, vibra a cada conquista? A copa ainda está no seu início, mas já podemos tirar grandes ensinamentos para as nossas organizações. Como por exemplo, a declaração feita pelo goleiro da Espanha, dizendo que iriam ganhar novamente Copa e desta vez, invictos, já no primeiro jogo, perderam, e de goleada para a Holanda. Nunca devemos menosprezar os nossos concorrentes, devemos sim, nos preparar para vencermos, com competência, humildade, estratégias bem pensadas e calculadas. Principalmente nestes tempos, onde não existem mais definições geográficas para atuarmos, onde a concorrência é mundial e os clientes querem algo novo e diferenciado todos os dias. Precisamos mais do que nunca, formarmos um verdadeiro “time” para ganharmos o jogo, e conquistarmos o campeonato ao final de cada ano, com maiores lucros e permanência no mercado, nunca esquecendo de valorizar e investir nos bons e excelente profissionais. Que possamos além de assistir aos jogos da Copa do Mundo, fazermos uma analogia com as nossas empresas e como estamos organizando o “nosso esquema tático” e “convocando os nossos jogadores” para vender no mercado. Sucesso a todos e até semana que vem.

Comentários