As eleições terminaram, e agora?
Sexta, 31 de Outubro de 2014

Nos últimos dois meses nós vivemos em clima de eleições, de ouvirmos propostas por parte dos candidatos que galgavam a reeleição ou então buscavam a sua primeira eleição. Uma eleição um pouco atípica, onde em alguns casos alguns candidatos(as) mais atacavam os adversários do que apresentavam propostas, mas enfim, essa foi ou foram as estratégias utilizadas por alguns para conquistar ou manter-se no poder. As redes sociais mais pareciam um ataque à ética, a democracia e a liberdade de expressão. Pessoas utilizando espaço e horário de trabalho para defender uma ou outra ideologia e, muitos desses, atacavam ou criticavam algumas atitudes de alguns candidatos, condenando-os, chamando de desonestos, de mentirosos, de aproveitadores, criticando-os e em minha opinião, essas pessoas estavam fazendo igual ou pior, pois para você exigir atitude diferente você tem que ser diferente, ou seja, para cobrar atitude ética, transparência, honestidade você deve primeiro ter e vivenciar tais comportamentos, caso contrário, é contrassenso você cobrar do seu representante ou atacar o adversário por alguma atitude ou postura e você estar agindo igual ou em alguns casos, pior. Mas estamos vivendo um período de “democracia”, que em minha opinião não é tão democracia assim, (por isso a palavra estar entre aspas), mas é o que temos para o momento. Pois bem, no último domingo foram eleitos e reeleitos os nossos representantes para os próximos quatro anos. Alguns de nós vibramos outros nem tanto, por termos eleitos ou não os nossos candidatos, mas tudo isso agora já passou. A vida continua um pouco mais alegre ou um pouco mais triste, mas a vida segue, temos que continuar o nosso trabalho. Qual é o nosso papel agora, pós-eleições? Acompanhar e monitorar os eleitos? Cobrar e exigir que as propostas sejam cumpridas? Ou só daqui a quatro anos irmos para as ruas, para as redes sociais defendermos os nossos candidatos ou atacar quem mais representa ameaças aos nossos representantes? Em minha opinião, a democracia é você como eleitor, como cidadão que paga e paga muito imposto neste país, cobrarmos, exigirmos dos eleitos uma gestão focada nos resultados e nos benefícios a todos os cidadãos, pois os candidatos foram eleitos por um determinado partido, mas vão ser governador ou presidenta de todos os habitantes. Por isso, devemos acompanhar monitorar e cobrar dos eleitos uma gestão transparente, ética e honesta, mas lembre-se, para cobrarmos devemos nós também termos tais atitudes. Nós temos em nossas mãos uma ferramenta maravilhosa que é a nossa capacidade de mobilização, de união e de ocuparmos os espaços disponíveis para realmente exigirmos um país, um estado mais justo, honesto, democrático. Que realmente possamos continuar exercendo a nossa cidadania e lutando por um governo mais democrático, mais honesto, mais ético e realmente para todos nós. Que esse espírito de cobrança, de fiscalização possa mais do que nunca estar presente no nosso dia a dia, através das nossas atitudes diárias. Que possamos buscar e lutar por um estado e um país melhor para vivermos. Pensemos nisso e até semana que vem. 

Comentários