A força de um bom dia!
Sexta, 29 de Novembro de 2013

Mantenha vivo dentro de seu coração cada pequeno ato, mesmo que outros não vejam ou sintam, não importa, isso agrada ao Grande Arquiteto do Universo.

Assim como o rio quando encontra o mar, alcança a identidade.

Somos todos da mesma composição, somos feitos de pó de estrelas, então por que não sorrir? Alcançar uma palavra para quem necessita, a mão para alguém que caiu, mas também mostrar nosso silêncio para injúrias, para fofocas e para quem não vale a pena... Um dia estas pessoas cairão na real, e se não fizerem isto, é porque realmente são menores, muito menores do que o pó das estrelas, então viva bem e espalhe este bem!

Parece que no final, estaremos todos de volta às estrelas, apenas fazendo e perpetuando o bem.

Domingo à noite, fogos, notícias e posts. Tudo nesta ordem. O que dizer? A finitude bate a porta again, difícil encarar a sequência de notas tristes, tudo estava embalado e num repente outro fone, e mensagens desanimadoras. É duro! Encarar algo que parecia afastado, como num julgamento insano, que não sabemos ao certo quais são as regras. 

A ordem cronológica aleatória é verdadeiramente uma das loucuras do destino. Não sabemos e penso que nem deveríamos ficar sabendo nossa hora, isto iria virar um pandemônio. No início da tarde, assistindo o GP Brasil de F1, lembramos da tristeza no semblante do inigualável Senna, olhando para sua Willians equipada com a mortal barra de direção, nunca ninguém falou a respeito a fundo, apenas especulações, mesmo assim não conseguiram apagar o triste olhar do ídolo brasileiro nas pistas, ele ficou atrás do carro e, calmamente trocou mentalmente informações com algo superior, como perguntando: Por que tem que ser agora? Hoje e desta forma? Teria tantos ainda para ajudar, para encaminhar, para orientar, mas veio a Tamburello e... a maioria de vocês já sabe o que ocorreu.

Gostaria de estar falando de coisas mais impactantes, positivas, enfim, algo bom. Mas a finitude me perturba, definitivamente.

Como na guerra não existem vencedores, apenas contagens de mortos de parte a parte e, depois, bem depois, acontecem iniquidades, a divisão do butim, os anos de controle por parte de pessoas que são alheias as comunidades envolvidas, e isso, bem, isso não é nem um pouco justo e perfeito! Vemos isto tanto em guerras como na política suja que se espalha por este mundão, seja qual quadrante, tudo corrobora e afunila para tal de caça, se não for ou não concordar com as práticas, bem este então pode ser defenestrado.. 

Enfim, espero que para estes a finitude tenha celeridade!

Para os bons, saúde e sorte!

Comentários