A Busca!
Sexta, 05 de Dezembro de 2014

Ao Som de Nothing Else Matters - Apocalyptica

 

Desde muito cedo aprendemos a buscar, no primeiro instante a conquista insana da concepção, depois por condições “climáticas” essenciais para o desenvolvimento, somos auxiliados por muitos pares de asas, por quem nos amamentou e acalentou nas noites de pânico, depois veio o envolvimento mais ampliado, o convívio com pessoas que aprendemos a gostar em ramos um tanto esquisitos chamado de família, por que existem alguns que não tem DNA próximo e são tão próximos que praticamente adotamos, naturalmente são amigos e amigas que vão aparecendo, trocando e convivendo.

Muitas coisas daí se originam, como por exemplo, a confiança e o carinho, alguns adeptos exageram em confiar demais em membros plenos do DNA, que aos poucos vão se distanciando por uma coisa chamada falta de comunicação. São casulos fabricados por isto ou aquilo, se aceitar conselho, jamais participe disso, fique calado e observe a distância, não comente, nem teça hipóteses sobre isso ou aquilo, se quiser conhecer calce as botas de quem, e caminhe por seu caminho, por vezes não se tem a parda ideia do que acontece ali, então faça uma jaula bem adequada para a fera que está atrás dos teus dentes, muitas das coisas que acontecem advêm da falta de clareza na comunicação, ou popularmente conhecida como língua solta. 

As pessoas têm erros e acertos, manter-se sereno e não entrar em calorosas discussões. Uma parte muito importante da sabedoria é a escuta, ela proporciona conhecimento ilimitado, ouça um lado e outro do sino, possivelmente você encontrará a verdade no ponto médio, nem tanto a terra ou ao mar.. Esta procura incessante pode traduzir-se em muitas cenas, em cada uma delas uma “Sensible Ventana” na qual poderemos perceber parte do caminho.. Aquela conversa franca que só entre algumas pessoas é possível, pois não há ali julgamento sumário, existe a fala e a escuta, e quando estas condições estão presentes há clareza, mesmo que entre soluços, e isto é confiança. 

Deixe que o acaso te presenteie, em pequenas porções, é possível que descubra na alegria do riso fácil de uma criança, na coloração de uma flor, no ar puro que vem da mata, do caminhar descalço na grama, na rápida aparição do arco baleno celeste, em tantas coisas que você se surpreenderá.. Nada é por acaso. Basta ter olhos e ouvidos atentos.

Quem canta, especialmente “em La Ventana” encanta! Ouvir e não se perder.. Precisa da Magia, do Celta! 

Saúde e Sorte, para quem faz.. A diferença! Salve! Ubuntu!

Comentários