Se perderes o fôlego, talvez seja tão verdadeiro quanto imaginas!
Sexta, 20 de Março de 2015

Ouvindo: Yellow- Coldplay

Pensando nas coisas, dia desses, passou um baio, daqueles de lua e estrela, coisa de doido, num flash, em desabalada correria, e se foi, perdeu-se no horizonte conhecido.. Dentre alguns dos conhecimentos gosto muito da intuição e, algo me diz que vamos evoluindo-a, como os andares, quando neninhos passos trôpegos, depois iguais passos, por outro motivo, vão passando e conhecendo algumas das coisas sensacionais desta vida, doce licor, ponches, samba, rum, e vai indo até chegar ao absinto. 

Em viagem á Europa pré Euro, conheci isso daee, que coisa doida, transforma tua percepção, não é á toa que os malditos poetas e pintores, e músicos, na idade dourada adoravam a bebida. Não, não é apologia não mequetrefe, é apenas o olhar. Dia desses li algo sobre o vinho, que é a bebida viva, que precisa ser acordado de seu sono, e no despertar trás traços de coisas incríveis, para conhecer um tanto ou um tinto deve-se desarmar de toda empáfia, das falsas luzes e daquele boçalismo comum em coluna social (nem todas é claro), a calma daquele senhor com um sorriso no canto, de canto e tal, pessoas jovens e experientes fundem-se em alguns cálices, aquele que se prova pelas curvas, dos olhos, de lábios rubros como o entardecer, como o mais lindo sangue escorrendo na mordida do vampiro..

Devaneio, divagações, sim, bebe a história, em cada capítulo ela nos conta outro tanto de humanidade e iniquidade, de fugazes espumantes, aos drinks e shots que vemos passar atônitos, prefiro a calma dos tintos, a profundidade, a gentileza do tempo, passando por peles e músculos, enfim fazendo que consigam carregar menos maquiagem e mais senso, mais natureza e menos embalagem, também podemos observar o brilho dos olhos, eles contêm certamente cores de rubis escondidos, como deve ser, todo tesouro deve ser bem guardado, mas é de bom gosto que dividamos com quem merece..

Eis que para alcançar este ponto, bom para tanto é preciso cortesia, silêncio de olhar e algumas linhas, alguns percebem, outros nem tanto, enfeitiçados pela ganância e, pela intenção precária de ser eternizado, por vezes falando com tal tom, que em outra época, o das poucas luzes seria trancafiado como daninhas espécies invasoras, hoje ou ontem tacariam DDT ou glifosato e pronto, as uvas como os lábios pedem tempo pra serem maturados, com a forma ideal, desprendem os melhores aromas..

É fantástico ver o rubro em teus lábios!

Um Brinde para quem sabe acordar.. Os Tintos e.. Os Lábios!

Comentários