Quando Nosso Tempo não é medido por ampulhetas ou ponteiros!
Sexta, 17 de Abril de 2015

Ouvindo  Marillion - Misplaced Childhood.

Noite de 13, um quarto de século passou por entre a areia e pelos dedos do senhor cronus, muita coisa mudou. Em Berlin já não existe muro, Bowie já faz shows por lá, ainda ontem o Pink Floyd fez grande show, com uma reunião improvável tempos atrás, a trilha sonora Brother, ainda está mudando, mas os pilares estão aee, percebe quem quer, e quem se permite.. O Que lembramos.. Fogueiras, violas e gente jovem reunida, ainda têm menos a fogueira, que hoje é das vaidades, a gente jovem está reunida e, olha catatônica para telas touch-screen, sei não a trilha sonora é mais esganiçada, em certo ponto rebolante, nada contra num país com esta linda mistura, temos que permitir, mas o que falta Brother?

Teu Sorriso de canto, com os olhos, que me acostumei a reconhecer desde cedo, tenho percebido isso no Davi, os crespos ele também têm, a vivacidade e tudo aquilo que costumamos e não queremos perder, egoísmo? Não, de forma alguma, é que quando se experimenta o melhor vinho, fica difícil andar de pangaré.. Metáforas Dani são necessárias, pela cabeça barulhenta e por aquilo que a Vó nos ensinou: “Muitas Verdades não querem Ditas.” Isso aee ainda vai dar livro, dia desses, sem estresse, com a calma e o olhar transparente de nosso Pai, Tua companhia faz falta, sei, no entanto que tua chama foi queimada até o talo, como deve ser e disso tenho o maior orgulho, quem nunca está assim mais ou menos, não escreve história e o rastro fulgurante que deixaste por aqui, podes crer, ainda brilha, no coração de cada amigo teu, de cada pessoa especial com quem trocaste aqui, dá saudades isso Dani, mas tudo é aprendizado, tenho que te contar, tem muitas novidades por aqui, a principal delas é que o pessoal ainda está curtindo os vinis, que tanto trabalho nos dava, e olha, ainda permanecem alguns dogmas, tatuagem agora é cool, aliás, pra nós sempre foi.. E tem algumas coisas que você afirmava que ainda estão muito atuais, uma delas: “Mãe.. O Poder Corrompe!” 

De Todas as Cartas que ainda guardo, tem uma muito especial, que enviou para o Pai e a Mãe, uma verdadeira declaração de amor que de tão bela já mostrei pro Gabe, saudades eternas Brother, cuida bem do Galeano que ta subindo, ele tem as veias muito abertas, é excelente companhia! Beijo!

De Todas as faltas.. A mais sentida é do teu olhar e do Sorriso!

Comentários