Vem aee mais uma Feira do Livro – embarque nessa aventura!
Sexta, 02 de Outubro de 2015

Ouvindo – Lavender – Marillion!


Um público comprometido com a leitura é crítico, rebelde, inquieto, pouco manipulável e não crê em lemas que alguns fazem passar por ideias. (Mário Vargas Llosa)

Em todos os tempos as ideias são defendidas com paixão e volúpia de parte a parte, ficam o combate verbal e por vezes verborrágico, alguns escrevem o que dizem, defendendo em teses; outros simplesmente tentam manipular a massa com a palavra proferida. Tenho visto e ouvido muita coisa, já na leitura sou eclético por natureza, leio pelo menos quatro livros de cada vez. Sim, esse é um dos pecados contra a desinformação, aprendi isso no caminho (não tentem fazer isso em casa {risos}, coisa de maluco), mas ler é uma praia acessível a todos, ela traz paz, constrói harmonia e pode eliminar algumas toxinas presentes no dia a dia, como a da boçalidade. Porém, sempre há maniqueístas que distorcem a realidade, baseados na palavra dita; percebi isso sempre, alguns canudos que andam de microfone em punho por aee deveriam passar férias forçadas nos gulags, mas penso que nem isso os faria melhores. Trazem a falta de consciência na gênese, espúrios, ímpios e naturalmente mentirosos, umas amebas, falo disso porque mesmo aqueles que não têm acesso à leitura (um dos maiores crimes contra a humanidade) e têm coração e comportamento puro, compreendem o que é a construção baseada em caráter. Outros, porém, constroem esse mundo de plástico que vemos por aee. Preste muita atenção nas pessoas e, sempre que possível, possibilite o acesso à leitura e à informação, hoje em muitos modais, mas ainda o velho e legendário livro, que te conecta com outros horizontes e é de cabo o melhor companheiro. Ele permite alguns instantes de magia e desprendimento, sem os cliques e sem os bips que infestam a vida moderna – não que isso seja ruim, nada disso, é apenas outro degrau, a oportunidade é dourada e pode nos levar além. O acesso à cultura nunca foi tão fácil, mas também a possibilidade de manipulação. Com o tempo, o livro torna-se hábito salutar e construtivo, não importa se você leu Cachorrinho Samba ou Meu pé de laranja lima, O escaravelho do diabo, ou um dos melhores, que é O pequeno príncipe, do legendário Exupéry, que pode até parecer linguagem para pequenos, mas a meu ver é um dos mais puros relatos de construção do bem viver. Poderia citar outros, como O Velho e o Mar e outros tantos, mas um me chama a atenção e já falei muito dele, o qual foi simplesmente a indicação de um de meus melhores gurus, o Domingos Chiodi, meu mestre e acima de tudo amigo. Dessas indicações que ele vasculhava na sua formosa biblioteca e sacava algo que simplesmente nos encantava, ele e a Tia Adayl sempre nos presentearam com indicações preciosas; a que falo é Fome – Knut Hansun, prêmio Nobel de Literatura de 1920. Esse carinha não frequentou escolas regulares e assim mesmo, por tomar conta de bibliotecas e estar sempre em companhia dos amigos livros, conquistou, a meu ver, uma das maiores honrarias da humanidade.

Esse e outros títulos estarão presentes na 33ª Feira do Livro de Frederico Westphalen: “A Magia da Palavra”, de 7 a 9 de outubro. O patrono deste ano será, com muita justiça, nosso amigo Wilson Ferigollo.

Cabe ressaltar que na quinta-feira à noite, logo no início da programação (19h15), haverá a Serenata da Saudade “Pompílio Rubin Girardello”, o Mágico da Leitura. Com apresentação da Juliana e do Danilo.

Sentiremos muita honra com a presença dos amigos!

Comentários