Entre Todos os Nós, sejamos mais Nós Mesmos!
Sexta, 11 de Dezembro de 2015

Ouvindo os pássaros na janela lateral

Dia Desses percebi que existem algumas coisas que entram ou saem da vida da gente para algo, e cada uma delas fica o tempo necessário para contribuir de alguma forma, boa ou má, dura ou leve, com muito tempo de fogo, ou apenas fogo fátuo, sim, por mais doido (e não é doído viu) que seja, chega o dia que temos que perceber isso, tem muita gente que me emprestou sua inteligência além da curva nessa vida, em uma ou outra situação, vai da gente mesmo entender o quanto isso pode contribuir, e naturalmente é uma troca, nem sempre justa, tem até piada que mostra que alguns entram com o pé e outro com a bunda, normalmente as pessoas entram na sua história por algum motivo, na curva você saberá qual, tenho visto muito ensinamento disso, porque invariavelmente este mundo de egos, malhados e enaltecidos em esculturas à moda helênica, quase sempre destoam da sua inicial grega e dessa gente, muito (a)s nem ao menos, usam das qualidades que é se abastecer e propagar a cultura (com peso, noção e naturalmente ação sobre o tal de ego), pois tenho visto coisas nestes tempos, da negação peremptória, a ilação, da ação aquela de dar tapa e esconder a mão, aos infortúnios, decerto é em função disso que novelas mexicanas fazem sucesso por aqui, e certos ritmos também, com hits que beiram e cheiram tão mal quanto as intenções de umas e outras pessoas, há tempo, muito tempo mesmo, como diz o poeta Belchior, meu blusão de couro se estragou, e como tudo nessa passagem um dia mostra a cara, ou nas ações, ou então justamente por escondê-las, como tramas, elas acabam aparecendo, como a política de poder, nesta tal de política que foi reinventada pra pior neste contexto atual, e digo com tranquilidade de minha família nunca ter dependido disso pra viver.. Difícil de acontecer tendo Avô que fez 4% dos votos de uma legendária Palmeira que congregava tudo o que você conhece em quase 80 km de extensão em linha reta, chegando à beira do Uruguai do outro lado, principalmente tendo ele feito campanha com recursos próprios e com a criatividade nativa de quem leva seu DNA.. E isso por aqui na esquina de uma vila (a menor em tamanho delas, mas que em função de sua gênese tomou importância e exportou muita gente boa, perguntem pras famílias da então recente Vila Osvaldo Cruz (antiga vila Mussolini)), deve ser por essa função que naquele torrão tenha virado colcha de retalho, cortado justamente entre a esquina de sua residência e de seu legendário Armazém.. Mas ainda guardo suas memórias, comecei a escrevê-las, até mesmo porque decerto seus muitos descendentes gostem de ouvir a história da Figura do seu Waldemar Sampaio Barros, dessas joias que, mesmo mexendo em caldo mal cheiroso como essa tal de política (sempre desde sua criação, existiram as eminências, aquelas pardas a ameaçar sua novel função), é respeitado como pessoa, como homem de palavra, como juiz em casos de dúvidas e injustiças, dia desses ouvi da boca de um amigo mais velho, que privou como menino à época, que graças ao Vô Waldemar, seu Pai não perdeu o sinal, nem as terras de um negócio que o vendedor queria reter o valor adiantado em função de um atraso na chegada da família ao local para a posse, na época ocorreu muita chuva e pelo terreno foi impossível transitar em tempo até o local, qualquer semelhança com os buracos e desmandos nas estradas hoje é mera coincidência.. Continuam a fazer pontes do nada para lugar algum..

Que os Laços não se transformem em nós, mesmo quando não estiverem mais ligados, a questão de perceber quando isso é de verdade é uma das curvas, no sacolejo, as máscaras caem..

Qualquer semelhança com a atualidade política e outra qualquer é mero acaso da mente fértil..

Comentários