Velhos amigos!
Sexta, 27 de Dezembro de 2013

A Finitude é algo não tão fácil de lidar e tratar..

Por incrível que pareça aprendemos com nossos tropeços por toda existência este ano de 2013 então, foi duro, muito duro, atrapalhado e complicado em todos os sentidos. Espero que acabe logo e que leve toda asa negra que apareceu por aqui...

Quando lá no início cativamos amigos, sabe, aquelas pessoas que aprendemos a gostar, respeitar, rir das palhaçadas e chorar com os percalços, dividir os bons e maus momentos, angústias e aflições, por menores ou gigantescas que sejam.. Bem, aprendi isto através de metáforas, coisas que aconteceram e que poderiam virar poema ou outra daquelas canções que tanto bem nos trazem..

Gente que carregamos dentro do peito, e não são apenas nossos, mas do mundo, como os filhos.. Quem já os teve sabe de que falo, um pedacinho da gente, mas com tenazes e voluntariosas vontades próprias, que por vezes não compreendemos direito.

Falar de um velho amigo que foi antes é difícil, especialmente do André Luiz Cerutti, o Ratão para meu Bando, uma pessoa com uma alma tremendamente generosa, mas igualmente a qualquer um com dúvidas, angústias e tudo o que transcende nossa natureza.. Personalidade forte, características de líder nato, inteligência acima da média, muita facilidade em fazer amigos e conhecidos, intenso, estas características colhi de cada um dos titãs que foram ao até mais, no dia 17 de dezembro, escolheu partir num dia tremendamente significativo para nosso time do coração, até nisso foi original, se é para queimar vamos até o final, sem deixar vestígio da vela. Então todo mundo que lá estava percebeu do amálgama que une o Bando, é algo construído ao longo de períodos de grande convivência, em cada chegada ou partida, foi acrescentado um pouco de liga, esta substância inodora, incolor e surpreendentemente expansiva, como suspeito não existir naturalmente, foi criada na base da confiança, da superação, do exalar de corações de estudante, cultivada em terreno fértil, entre nossas famílias, que já tiveram os ancestrais como amigos, e fundiu-se numa coisa maravilhosa, passamos por muitas fases e aprendemos a tratar a cada um como irmão, independente de credo, cor e posse. Um fragmento de confiança na qual sabemos exatamente o que cada um de nós pensa e, que transmitimos à descendência, hoje meus amigos, tivemos que nos separar fisicamente de alguém que admiramos, que curtimos e que acompanhamos, como diz outro Titã, muitos de nós foram os primeiros a convidar um ao outro para brincar na casa do outro, isto quando o mundo ainda era tão maravilhoso que nossos pais sabiam exatamente onde estávamos, e que a única cláusula de controle era a luminosidade solar, enquanto dia, podíamos correr, brincar à vontade, a hora certa de ir para casa era quando começava o lusco-fusco, então ao chegar em casa tínhamos muito para contar, sim porque a cada tarde ou manhã, rendiam inúmeras cenas novas e brincadeiras, mais tarde a necessidade de convivência criou um elo tão forte que antes de qualquer evento sempre existia a prévia, uma espécie de junção sempre na casa de um, então ouvíamos pacientemente os conselhos, ora de um, ora do familiar do outro..

Que esta convivência bacana nos dê ainda muito tempo pela frente, por que desta vida nada se leva, apenas o bem que fizermos e, nossos corações e almas repletas de boas energias.. E isso realmente MEU BANDO tem muito! Força para cada um que sofre com a perda de nosso amigo, tenha certeza que, o Grande Arquiteto do Universo estava precisando de alguém para organizar eventos e sonorizar as comemorações de final de ano e, ninguém melhor que um dos pilares do Legendário Rat’Edo Sound! Carpe diem!

Saúde e Sorte, para os bons!

Comentários