Esses dias vi um sapato diferente!
Sexta, 04 de Março de 2016

Ouvindo Sting – Desert Rose

“Uns sapatos que ficam bem numa pessoa são pequenos para outra, não existe uma receita para a vida que sirva para todos. Carl Jung.”

De todas as criaturas que existem, as mulheres são especialíssimas, umas conseguem transformar a vida, outras nem tanto, de certa forma na família matriarcal brasiliana, especialmente a gaúcha, onde a prática italiana foi levada muito a sério, inclusive por outras etnias, ou apenas deixaram a coisa andar assim de forma natural. Temos contos vários por aqui, inclusive os já filmados em belas séries, que tratam um tanto da história do RS.. Belas e sedutoras mulheres, inteligentes, algumas até malévolas.. Mas este período do ano dedicou um dia no calendário a elas, convencionou-se Oito de março.. Nada mais fora de lógica, quem observar com atenção, percebe que sempre será dia, mas entre o feminismo exacerbado e um machismo calculista do mundo de hoje, fico com o equilíbrio, de aceitar diferenças, de perceber nuances, de entender que existe a outra parte da asa, talvez com as luas, com o passar delas, conseguimos perceber um tanto melhor isso tudo.. Neste dia, este ano, nesta data terá um belo eclipse solar, infelizmente o lado ocidental não poderá perceber naturalmente, apenas por transmissão, mas também chama atenção.. É significativo, exatamente como este desejo incontido por sapatos, fiz reflexão e intuí algumas coisas, entre elas, está a ideia que essa gente de pele macia como seda, de olhos lindos e tremendamente encantadores, adora ter vários deles, talvez por sua imensa capacidade de adaptação, desconheço gente mais múltipla, são e estão algumas enfrentam jornadas triplas, outras já muito novas enfrentam um mundo inteiro de convenções estereotipadas, que à luz da verdade, são apenas gaiolas, fabricadas para castrar e minorar sua força. Bem existem homens que sabem diferenciar as coisas, alguns, lêem seus olhos e percebem, outros continuam fazendo jogo de cena, que no próximo dia 8 e nos vindouros (todos) a humanidade possa entender um tanto mais desta bela alma, e não as trate apenas como pedaços de carne. A alma feminina, antes de tudo, é constituída de tenazes fios de aço e algodão, de seda com texturas tão diversas, que podem ser tão macias como pétalas de rosa, ou tão cortantes como o diamante. Que tua mão seja como bálsamo, com olor de sândalo, e serenamente perceba que os nuances sempre serão a diversa forma em que seguras entre teus braços, nunca de forma desleixada, nem na forma de prisão, apenas com a segurança necessária, para que possam alçar vôo, e se assim desejarem, pousar ao teu lado.

Comentários