Faz Falta, Fazer Falta!!
Sexta, 18 de Março de 2016

Ouvindo Supertramp – Child of Vision

“A neve e as tempestades matam as flores, mas nada podem contra as sementes”
Khalil Gibran

Nesta conturbada e louca caminhada, com doidas perguntas e doídas respostas, faz falta.. O sereno da madrugada distante, da camiseta pintada com o muro, dos muros de outrora que poderiam ser de toda altura que escalávamos e que, triunfante e trôpego, um dos Titãs proferia discurso. Dos encontros inesperados, das festas impensadas, do olhar guardado. Do abraço demorado e que tudo pode, mesmo de noites insones, ao redor de fogueiras que eram em verdade de vaidades, de desejos vãos, sim, de vazios de tudo o que importa e move. Na dobra do teu olho de hoje, irás descobrir tênue saudade, sou bicho de memória, às vezes plena, outras vaga.. Lembro cenas lendárias e tão distantes do relógio digital e ao mesmo tempo aquele vinho em cálice bojudo não vem de pronto, é preciso apertar o olho, dia desses que pulam calendário, que descolam da folhinha, percebi olhar e sorriso, ainda não inventaram forma melhor de comunicar, está guardado na dobra, e refleti sobre isso, como mantra escrevi e procurei narrar, mas o que faz a diferença por vezes não é percebido ou ao menos não se demonstra.. Truque antigo vindo das poderosas, o jogo tem que ser estudado, existem muitos passos e outros tantos olhares. Aquilo que definimos como saciedade é, antes de tudo, cumplicidade, e sentimento inteiro, uno, para sentir que isso é diferente, é necessário fazer falta, numa sociedade plástica, onde instas de toda ordem minam nosso cambaleante senso real, a instantaneidade torna tudo veneno letal. Diminua o passo, a qualidade de tua vida irá expandir.. Sensivelmente!
 

Comentários