O Outono leva folhas rotas para que possamos escrever novas histórias!
Quinta, 24 de Março de 2016

Ouvindo Sting – Fields of Gold

“As palavras têm a leveza do Vento e a Força da Tempestade” Vitor Hugo

Semana vai, dia também, o tempo escorre, por vezes rápido como corredeira de rio caudaloso, em outras, lenta como riacho em tempo de pouca chuva, a estação que entra é pródiga em luminosidade, as tardes não tão acaloradas e o céu tem contorno de silêncio, daqueles que podemos tocar, pensei nisso dia desses, alguém mostrou que o outono é a estação com luz e temperatura para vinhos, em cálice bojudo ao cair a tarde, numa sacada ou embaixo de árvore, no remanso de um olhar, no recado do sorriso.. O outono também proporciona quase uma troca, não da derme como nos répteis, mas aquela de contemplar, em silêncio, a cinza das horas impressas no concreto que tudo bloqueia, luz, sombra, verde e vida. Por conservar a cena, tenho impressão de filmes, um deles é o clássico Apocalipse Now, um dos mais belos e aterradores, pra ser visto em tela grande, sei, é difícil, mas ainda a melhor forma de perceber, uma cena antológica do filme: “There’s a snail in a sword” na voz de um Marlon Brando carregado de silêncio e terror. Penso mesmo que a vida é carregada de imagens, algumas épicas.. Ocupa teu olhar e expande teus sentidos, a magia e o encantamento estão bem ali, no teu caminho, e ao percorreres com tuas próprias botas, divisarás aquilo que ainda procuras. Expandir o pensamento e tuas próprias asas, leva ao voo, solo, uno e indivisível, algo que o homem procura há muitas luas. Numa de suas raras postagens, em todos os sentidos, um amigo irmão, publicou um código de sinais para ser utilizado, mais ou menos um guia de significado técnico para símbolos, e este tempo está carregado de simbologia, pensei na cena que tenho visto em lugares vários, onde uma nova parte da gente fica com seus rostos iluminados, mas é uma luz artificial, não aquela natural que salta dos olhos, e que alguns ainda conseguem perceber, essa parte do touchscreen não se aplica, deixa tua impressão, a melhor delas é o abraço, o carinho de uma palavra, a atenção do teu ouvido, o elogio sincero, e especialmente o teu tempo que divides.. Talvez seja essa diferença com força de simbologia que pode fazer diferença, neste tempo de plástico, com retoques em fotos, para que a imagem fique mais próxima de um fraco ideal.. E nessas belas tardes, das confidências de tua morena pele, talvez entendas por vez que somos das estrelas, pedaços delas, do pó delas, mas que é apenas assim, com um sorriso sincero, com a mão pronta a ajudar, sem a outra saber, o silêncio que pode ser tocado é tão raro quanto teu olhar, feito de luz e sombra, de perfume e de dentes, mas também feito de lábios que tocam o éter e de forma que tua voz rouca saia mansamente, não como prova, mas como fonte de vida e saber.

Comentários