Das Tuas Pequenas Mãos
Sexta, 29 de Abril de 2016

Ouvindo Pink Floyd – The Division Bell

Sempre procuro respostas, vezenquando encontro, em cada parte do caminho elas vêm de forma diversa, umas são orações ditas por anjos que perpassam o caminho deste escrevente, nos papéis, ora aqui, ora ali encontro uma quantidade diferente de signos, uns legíveis e outros que me fazem pensar, reconheço que a transformação é para olhos especiais, alguns de nós percebem, outros estão preocupados com a nova cor, corte ou atrativo lançado por inconsequente modismo, sei, há gente que se diverte com isso, trabalha duro e ganha a vida, mas dita outro caminho, que alicerçado em mídia (a odiosa) inibe, cria espaço para diferença, que separa.. Existem vãos nestes caminhos, que só podem ser preenchidos com pontes, elas naturalmente são feitas de braços, fortes ou não, perfeitos ou não, que em se doando, fazem diferenças e distâncias serem eliminadas. Ao auxiliar alguém, nada lhe será tirado, talvez nesta transferência gratuita e voluntária esteja contida grande parte das respostas às perguntas que fazemos. Uma criança sorrindo, correndo, pulando e vibrando pode ser a bênção que do céu desprende. Agradeça sempre pela luz dos teus olhos, pelo som que escutas e pelo silêncio, para que ouça a voz interna, aquela que hora sussurra, hora grita, mas que invariavelmente sai do teu peito.

Vibra e sê feliz!

Alegra-te mesmo na carestia, momentos duros são justamente aqueles nos quais conhecemos nossos pares, ouça e perceba quem está ao teu lado..

“Há tempo, muito tempo que estou longe de casa.. E nestas ilhas cheias de distância, o meu blusão de couro se estragou..”

Quem fala, pode viver.. eternamente; quem cala, pode morrer num instante!

Saúde e sorte! Para quem faz.. a diferença!

Comentários