Prazer! Você Está Olhando para o Amanhã.
Sexta, 23 de Setembro de 2016

Ouvindo “Garganta” – Seu Jorge e Ana Carolina

Numa curva senoide entre monitores que bipam e dizem que ainda estás respirando..

A lógica madrasta ou te ameaça ou te salva em toda linha.. os cenários poderão variar, ora em cenas bucólicas.. Ou de guerra entre a vida e acertos finais, a diferença sempre estará em como decidir levar.. No frio manto do consumismo, entre marcas, sensação frugal de pertencimento, ou na linha de olhares verdadeiros.. Da linha de gente que se importa com o ser.. A batida da festa pode encher tua hora vazia, não é certo que sustentará tua calma na que duvidarás da sorte, porque elas chegam, não sei ao certo se pra provar tua sanidade ou tua têmpera.. Em qualquer dos cenários, os construídos apenas pelo sistema.. Mostrarão o luxo do cenário vazio. Proporciona o acabamento fino com certo pó que imita a arte e cultura.

Com leve sopro se vai.. Repara que a vida é especialista nisso.. Uns chamam de cinza das horas, que queima as esperanças vãs e fica depositada ora aqui e ali, mostrando-se em sorrisos falsos, grossas make-ups, sedas imperiais, mas que não cobrem os sinais que apavoram a sociedade de plástico.. As máscaras, estas que são tecidas com o melhor do cinismo, da Lei de Gérson, em que amigos são trocados por cifras, e lá no final do corredor, ela, a cara da riqueza, ao atender seu celular último tipo com capa de cristal swarovsky, mostrará linda imagem na face, pele de pêssego, fruto de sessões intermináveis na terra de narciso, porém, ao levantar o fino véu, mostra nas mãos os sinais quanto a que não se pode iludir. Que a face do tempo, que passa inexoravelmente para todos, não termine teus dias no corredor frio. Conserva teu olhar e teu coração, mesmo que isso seja cruel em algumas partes do caminho..

Sempre existirá o tempo. Cultiva teu jardim! Importe-se: existe rico conteúdo além da etiqueta, mantenha-o por perto. Umbuntu: somos todos um!

Comentários