O caldo insosso e inodoro da política, da educação, segurança e da saúde nos dias de hoje
Sexta, 26 de Maio de 2017

Ouvindo Graceland – Paul Simon

Na esteira de vida e rima desta que é ida, a surpresa desta porcaria toda de meios empresários encruado na política sórdida e voraz, que detona a fortaleza da moeda, desestabiliza mercados e mostra que a sujeira é imensa, a legislação, de certa forma precária, ou quem sabe alguns profissionais muito bem apanhados dentro de amplo conhecimento e trânsito, possam facilitar alguns lances intentados, projetados como num treino de partida de xadrez, as freqüentes aquisições de empresas mostram isso, quando em plena universidade, víamos o avanço amarelo por sobre a nem tão bela hegemonia americana, com técnicas e estudo, muito estudo, durante os anos sessenta, na verdade no intervalo entre 50-70, os amarelos, hoje mais conhecidos como tigres asiáticos, neste grupo de países foram implementados política de investimento massivo na educação de grande percentual do produto interno bruto, durante dez ou quinze anos numa clara opção por qualificar mentes e proporcionar melhores resultados para a população paupérrima, espoliada durante séculos por invasões e colonialismo. Quando o prédio Empire States foi adquirido pelos asiáticos, os EUA acusaram o golpe, o orgulho americano foi ferido, na seqüência, golpes no mercado como os carros de montadoras japonesas tomando conta do espaço dos beberrões yankees, hoje vocês percebem o porquê destas trapalhadas todas deste louco desgovernado que assumiu a Casa Branca, numa tentativa tensa de retomar postos de trabalho para seus cidadãos, o mundo mudou, não é mais possível imaginar que erguer muro possa controlar a evasão de postos de trabalho, e imaginar que isso foi proposto por um americano que não teve espaço na América durante o período evocado acima. Deming seguiu elementos anteriores que, dispersos, não conseguiam o resultado satisfatório. Foi aos asiáticos que ensinou e, em função de sua excelente disciplina, renderam os primeiros frutos, o processo de melhora contínua só funciona com educação e disciplina. A diferença entre esse tipo de governo que “gosta e zela” de sua população está em políticas com efetivo respaldo e interesse, nos quais os valores investidos se tornam efetivamente um excelente investimento, com retorno garantido em muitas áreas, vejamos as posições quanto aos inventos, qualidade de vida, embora esta gente viva em um terreno freqüentemente assolado por desastres climáticos, como furacões, vendavais e terremotos. Talvez estes acontecimentos recentes façam ver as lideranças que precisamos alguns choques, nem tanto heterodoxos, mas de uma forma programada e constante, na forma de investimento e, naturalmente, de cobrança, todos percebemos que a política da forma como está, se lixa para investimentos em educação, e penso que exista apenas uma resposta, a dominação de um povo pela falta de cultura generalizada, afinal, um povo que pensa não será dominado, nem espoliado da forma como estamos, mas prestando atenção, hoje um trabalhador burocrático de qualquer destes balcões que servem muitas vezes para acomodar apadrinhados, recebe salários e tratamento mais dignos que aqueles que deveriam ser tratados com toda atenção possível. Enquanto os professores desta nação forem tratados como partes componentes apenas do custo, veremos isso, salários acachapantes, pingados e nenhum critério nos investimentos na área.

Vou lhes dar a dica, o povo quer cultura sim, a prova viva disso foi à noite dos museus que trouxe um enorme número de pessoas para a luz, embora a noite fria, Porto Alegre mostrou a face que nosotros apreciamos e aprendemos a amar. Isso é cultura espraiada!

Saúde e sorte, aos bons!

Comentários