Bate Outra Vez!
Sexta, 16 de Maio de 2014

Ao som de “Rudepoema” Heitor Villa-Lobos

 

Em Comentário sobre a indicação de som após o título: Ideias que aparecem quando escrevo cartas, em verdade colunas, para meus amigos perceberem o que anda acontecendo na aldeia.. Rodam o mundo porque além da tiragem do vibrante FOLHA, cada dia melhor, graças à entrega de sua equipe de jornalismo e dos colegas que publicam colunas, insistimos em publicar também na web. Mas vamos ao que move, a vida pacata da cidade foi abalada pela crueldade, na verdade importada de outros pagos, a então pacata cidade foi alçada em TODOS os telejornais, o pessoal do FOLHA concedeu inúmeros acessos para as grandes, as enormes redes, um material muito bom foi fornecido, creio que realmente espetamos um alfinete no mapa, só não da maneira nem pela causa que gostaríamos, carros de reportagem estiveram aqui, inclusive alguns deles andaram se chocando com pacatos cidadãos, cuidado pessoal, não queremos mais maldade. Como o som que embala esta coluna nosso pequeno trem caipira foi arrebatado pela iniquidade de nomes, porque me recuso a chamá-los de pessoas, de gente, ou de qualquer sinônimo. Dia a dia, nos contatos por e-mail, fone, e pessoalmente vejo, e ouço comentários tenebrosos sobre o que aconteceu, gestaram a ideia e toda a iniquidade em outro CEP, mas quem levou a fama foi Frederico Westphalen, me perdoe anjo Bernardo, mas de todas as peças deste quebra-cabeça infernal, desde teus gritos por socorro, que foram desconsiderados, desconheço critérios. Percebo que novamente as moedas, as mesmas trinta de prata (que embalaram Judas) continuam mudando a cabeça de alguns, será que de alguma forma isto pode tornar a vida de alguém melhor, que porcaria isto daí. Por que isso e não aquilo? Não compreendo, não consigo imaginar nem um traço de razão para o ocorrido. Ganância, subserviência, e esta porcaria de falsos brilhos, será que o pedreiro é diferente de outra profissão? Por mais nobre, isto não deveria ser diferencial para nada. Senão vejamos: Um médico, enfermeira e assistente social, profissões que devem zelar pela saúde e cuidado e, que encabeçadas por facínoras, resultaram nisto. Sei que qualquer um tem o direito à defesa, mas fico nauseado só de ouvir. De cara lembro a pena de Talião, olho por olho, dente por dente, se ocorresse isto em outro país (sem qualquer segregação, apenas para efeito de comparação), teríamos fogueiras espalhadas. Preciso chamar a atenção, nossa comunidade não participou desta ignorância, foi envolvida. E graças a seus aparelhos de segurança, auxiliou na elucidação do hediondo crime.

Saúde e Sorte, para quem faz.. A diferença!

Comentários