Quando vem o chamado!
Sexta, 22 de Novembro de 2013

Dias atrás resolvi falar com amigos. Falo sempre, por e-mail, no in-box do face, ao telefone e escrevendo, tenho feito bastante, é preciso estar inspirado para tanto. Dois dias depois um amigo ancestral me liga, e me dá uma notícia triste.

Um dos nossos estava passando por severos problemas de saúde. Num lapso de tempo já havia decidido encontrá-los.

Chegando lá, encontrei um a um os amigos que não via há tempos, os abraços fraternos, olho nos olhos úmidos, desencontrados, aflitos e ao mesmo tempo esperançosos.

Mais uma destas que a vida reserva, pode ser numa curva, ou em reta qualquer.

Reunimos o pessoal, cadeia de união, e pensamentos elevados, em tudo, sons, lembranças e encontros isso foi sempre uma constante entre meus amigos.. E agora um de nós estava entre a vida e a morte. Fiquei muito sensibilizado, embora já amaciado por quedas, o corpo responde, doem as costas, as pernas e os braços, na cabeça existem espaços generosos de apreensão e dúvida. Resolvemos então curtir o momento, que era o mais sensato. Ali estavam vários titãs, uma alusão que frequentemente uso para dentro do tempo e espaço, é como trato cada um dos meus. Os momentos que passamos, teorias e ideias discutidas, os livros e discos consumidos, na tênue esperança de “ser eterno”. Lógico que isso não é provável, conheço a finitude e todo resto, mas quando se está entre amigos, queremos prolongar o momento. Acontece entre poucos e bons. Não se pode eleger muitos, pois teus amigos de fé, são os mesmos que brigam contigo quando estás enganado, com uma naturalidade que podem te chamar dos mais inomináveis pronomes de tratamento, só amigos tem este direito, porque de resto é encrenca na certa.

Muitas lembranças, dos locais de encontro, de todas as épocas, de cada música, e especialmente de escritos, esta geração conviveu ao mesmo tempo com uma explosão tecnológica sem precedentes dentro da história da humanidade, mas soube conviver como ninguém com isto, tanto que hoje temos digitalizadas várias cartas, escritas em priscas eras, que falam dum tempo que não volta, mas está guardado na íris e nas curvas encefálicas de cada um, e isto gente, realmente não tem preço.

Que bom que tivemos boas notícias da melhora da saúde do André, então temos é que comemorar a vida!

Raio de sol!

“Nunca te é concedido um desejo sem que te seja concedida também a facilidade de torná-lo realidade. Entretanto, é possível que tenhas que lutar por ele.” Richard Bach

Saúde e sorte!

Comentários