Líder x controle das emoções
Sexta, 18 de Novembro de 2016

O controle das emoções é um fator essencial para o desenvolvimento do indivíduo como líder e para a melhoria da comunicação/relacionamento interpessoal, tornando o ambiente de trabalho mais atrativo, saudável e produtivo. Esse controle pode trazer transformações significativas, tanto no ambiente profissional quanto familiar, uma vez que a pessoa se torna mais consciente de suas responsabilidades sobre o bem-estar de si mesmo e de outrem, usando as habilidades adquiridas para promover uma mudança cultural e social no meio em que vive ou trabalha.

O controle emocional não se trata de um processo fácil e simples. Muito pelo contrário, o poder da razão que nos define como seres do pensamento e da linguagem representa um valioso instrumento, que poderíamos e deveríamos utilizar com mais frequência em busca desse controle, mas é negado e, por isso, menos utilizado.

Entretanto, com o advento das novas gerações, cada vez mais “antenadas” com o progresso tecnológico e, ainda, com a quantidade de informação disponível em um piscar de olhos, multiplicando-se num ritmo quase impossível de ser acompanhado pela maior parte da sociedade, temos as organizações atravessando verdadeiros dilemas, estes oriundos do tecnicismo científico e racional, o qual oferece espaço não apenas às inovações e ao uso das emoções nas conduções dos processos e pessoas, mas também transmutando o modo de produzir com o de conviver.

As situações apresentadas nos ambientes organizacionais oferecem grande pressão a todos os integrantes envolvidos no ambiente empresarial. Essa pressão resulta, na maioria das vezes, em momentos de forte tensão emocional, em que muitos perdem o controle parcial ou total de seus atos, carregando resultados indesejáveis do ponto de vista organizacional, resultados estes que vão desde a desmotivação total da equipe até a ocorrência de acidentes pessoais ou coletivos.

A relação entre a inteligência emocional e os estilos de liderança contingencial consiste na liderança que pode ser moldada pela situação apresentada, em que o líder desenvolve a capacidade de adequar-se ao momento e, dentro dessa dinâmica, ele consegue delegar e motivar seus colaboradores para que suas reações sejam positivas, ofereçam o seu melhor e alcancem os resultados esperados. A inteligência emocional está diretamente ligada aos resultados organizacionais, uma vez que, através de sua aplicação, líderes de todos os níveis hierárquicos estariam trabalhando em prol do bem comum, ou seja, dos liderados e empresas, buscando juntos atingir metas e resultados, criando um ambiente propício ao crescimento unânime.

Aprenda a desenvolver e aplicar a sua inteligência emocional.

Comentários