RODEIOS
Sexta, 29 de Janeiro de 2016

A época de verão e calor é a mais propícia para a realização de rodeios crioulos. Acampar, transportar cavalos, realizar atividades de tiro de laço em cancha de terra batida ou de areia, tudo é facilitado pelo tempo de verão, mais seco e apropriado. Por esse motivo, os rodeios acontecem em sua grande maioria no verão, enquanto que as cavalgadas ocorrem com muito mais frequência no outono e inverno, devido à longa exposição do cavaleiro ao sol.

TALENTOS DESPONTANDO
– No final de semana passado, 25 e 26 de janeiro, o CTG Os Sinuelos de Alpestre realizou o seu 25° Rodeio Crioulo Interestadual. Laçadores de diversos CTG’s participaram, dentre eles, o CTG Rodeio da Querência, com um bom grupo de laçadores. Destacamos a premiação de Marcelinho Piovesan, 1º lugar na categoria Laço Rapaz, e Eduarda Zitkoski, 1ª colocada na categoria Laço Prenda.

UM POUCO DE HISTÓRIA DOS RODEIOS – Abriu dia 21, quinta-feira, o 31º Rodeio Internacional de Vacaria, que tem previsto uma programação de nada mais do que 11 dias de atividades campeiras. O Rodeio de Vacaria foi o primeiro evento do gênero no Rio Grande do Sul. Um dos idealizadores do Rodeio, que na época era o patrão do CTG Porteira do Rio Grande, Getúlio Marcantônio, escreve em seu livro Vacaria dos Rodeios, que na sua primeira edição, em 1958, tudo era muito precário, e a situação da época exigiu com que os organizadores preparassem a cancha das competições campeiras, sem nenhuma ferramenta, arrancando as macegas com as próprias mãos.

RODEIO DE VACARIA I – A história conta que o primeiro Rodeio Crioulo realizado no Rio Grande do Sul, o de Vacaria, registrou 33 participantes nas competições, estes do município-sede, de Bom Jesus e Lagoa Vermelha. Para o churrasco aos visitantes, um abatedouro local forneceu a carne de duas reses. Hoje o consumo de carne durante a realização do evento é de toneladas.

RODEIO DE VACARIA II
– No ano seguinte à introdução dos Rodeios crioulos no Estado, 1958, o 2° Rodeio de Vacaria, já ganhou importância, tornando-se Estadual, com a participação de vários municípios, como Porto Alegre, Caxias do Sul e Soledade. Os registros contam que a principal atração deste rodeio foi a presença de Wenceslau Ferreira Filho (o Lalau), ginete conhecido da região, que fez frente ao desfile de abertura. Ele havia representado o Brasil num rodeio em Houston, EUA, e com isto recebido grande notoriedade.

RODEIO DE VACARIA III
– Até o ano de 1960 o Rodeio Crioulo de Vacaria era realizado anualmente. Desta data em diante, passou a ser realizado de dois em dois anos, antecedendo outro importante evento turístico no Estado, a Festa da Uva de Caxias do Sul. A partir do 5° Rodeio, em 1964, o evento aumentou de tal forma, tornando-se internacional, pois passou a atrair representantes do sul do continente e até cowboys dos Estados Unidos, sendo estes, exímios competidores no laço, nas rédeas e na doma, ganhando, inclusive, muitos prêmios.

Comentários