GP da Malásia com vitória da Ferrari
Quinta, 02 de Abril de 2015

De volta ao volante de uma Ferrari, Sebastian Vettel desbancou Lewis Hamilton da Merceds no GP da Malásia realizado domingo, 29 de março, e chegou ao seu primeiro triunfo pela escuderia de Maranello, com apenas duas corridas em sua nova casa. A equipe não vencia desde maio de 2013, e o piloto, desde novembro desse mesmo ano.

No pódio, o sorriso largo era a prova da realização de um sonho de infância, “vencer com o macacão vermelho”. Para terminar, após o hino da Alemanha, Vettel regeu o hino da Itália, repetindo o gesto de seu maior ídolo, Michael Schumacher.

E para bater as aparentemente imbatíveis Mercedes, a Ferrari adotou uma estratégia certeira, preferiu manter Vettel na pista, enquanto Lewis Hamilton e Nico Rosberg pararam nos boxes durante o período de safety car, logo no início da corrida em razão de uma rodada de Marcus Ericsson, da Sauber. Mas o triunfo não seria possível se Vettel não mostrasse um ritmo impressionante durante toda a prova, relembrando seus áureos tempos de RBR.

No fim, a Mercedes jogou fora as últimas chances de vitória do britânico ao optar por um jogo de pneus duros, mais lentos que os compostos médios, no terceiro e último pit stop do bicampeão. Com isso, um contrariado Hamilton teve que se conformar com a segunda posição, seguido do companheiro de equipe Rosberg, que fechou o pódio.

 

Felipe Massa

Começando do sétimo lugar no grid, Felipe Massa ganhou posições graças a uma boa largada e fez uma prova consistente. No entanto, Felipe viu novamente a Williams prejudicar sua prova. Dessa vez foram os mecânicos, que se enrolaram em seu último pit stop, fazendo o brasileiro perder segundos preciosos e ver o parceiro Valtteri Bottas colar no fim. Na última volta, Massa protagonizou um acirrado duelo com o finlandês, mas acabou sendo superado, terminando em sexto.

 

F 1 delas

A criação da Fórmula 1 Feminina é mais recente ideia que Bernie Ecclestone quer levar adiante, com o objetivo de dar uma oportunidade às pilotos de mostrarem as suas capacidades perante a enorme dificuldade que é entrar na Fórmula 1. 

Bernie disse que acha uma ótima boa ideia elas terem um palco próprio. Por algumas razões, as mulheres não chegam à Fórmula 1, e não é porque a organização não  quer, bem pelo contrário, admite ele, o diretor-geral da F-1. Ele ainda diz que as mulheres atraem atenção da mídia e, muito provavelmente, patrocinadores.

A ideia era lançar um campeonato do mundo, exclusivo para mulheres, exatamente nos mesmos circuitos da Fórmula 1 e nos mesmos finais de semana, mas ainda está em projeto.

Abraço e até a próxima!

Comentários