O Rei de Mônaco
Sexta, 29 de Maio de 2015

Não estou falando dos Reis ou até mesmo do Príncipe de Mônaco, Alberto II, mas sim do nosso eterno Campeão Ayrton Senna. Ele começou a ser chamado assim depois de vencer seis vezes o Grande Prêmio de Mônaco, e ser o Piloto com maior número de vitórias no circuito mais belo da F1. Os feitos foram nos anos de 1987, 1989, 1990, 1991, 1992, 1993. Este é considerado um dos GPs mais conhecidos da Fórmula 1, com seu circuito de rua cruzando o bairro de Monte Carlo, no Principado de Mônaco.
Possui 3.340 metros de extensão e exige dos pilotos muita precisão, devido à grande quantidade de curvas e a estreita largura das ruas que formam o percurso. É considerado o mais charmoso GP da Fórmula 1, pelo glamour que envolve a cidade, cercada por iates, cassinos e personalidades do” jetset” internacional. Além disso, é realizado em associação com o Festival de Cinema de Cannes.
O GP foi disputado pela primeira vez em 1929. Em 1950, fez parte do primeiro mundial da Fórmula 1, com a vitória de Juan Manuel Fangio, e passou a integrar a temporada regular da categoria a partir de 1955, ininterruptamente.
O desempenho de Senna no traçado montado nas ruas estreitas e desafiadoras de Mônaco sempre despertaram olhares de admiração dos espectadores e muito respeito dos adversários. Logo em sua estréia no GP de Mônaco, veio o primeiro pódio da carreira em uma das corridas mais controversas da história da F1. Senna se classificou em 13º no grid e já na 19ª volta assumiu a segunda colocação ao ultrapassar Niki Lauda, que já tinha dois títulos mundiais.
Com seu limitado Toleman, Senna passou a ameaçar o líder Alain Prost, da McLaren. Sob forte chuva, Prost solicitou a interrupção da corrida e foi atendido ao final da volta 32. Senna passou o francês pouco antes de cruzarem a linha de chegada, comemorou a vitória, mas em atenção ao regulamento a vitória foi concedida a Prost, líder da corrida antes da bandeira vermelha, já que a volta 31 foi a última completada por todos os competidores.
Outro fato que me chamou atenção enquanto assistia o GP de Mônaco, no domingo passado, foi quando o comentarista da prova falou que, quando Senna passava em frente ao guardas, eles batiam continência para ele, prova da admiração e respeito que todos tinham diante do nosso piloto brasileiro.
Abraço e até a próxima!

Comentários