“O PREFERIDO”
Sexta, 21 de Agosto de 2015

O circuito de Spa-Francorchamps, considerado o preferido entre os pilotos da F1, está localizado na região central da Bélgica, entre Liege e Bruxelas. É uma das pistas mais antigas da F-1. Foi inaugurada em 1924, com as “24 horas de Francorchamps”. Ali também se realizou, em 1925, a primeira grande corrida internacional de monoposto, o Grande Prêmio da Europa. Concorreram sete carros e o vencedor foi Antonio Ascari, com um Alfa Romeo.
A pista de Francorchamps é a mais adorada pelos pilotos, é rápida, seletiva, com curvas de todos os tipos, subidas, descidas e a curva mais espetacular da categoria, a Eau Rouge (nome de um pequeno e caro hotel que fica às margens da pista).
Perigosa, ela começa descendo para a esquerda e termina subindo para a direita. É aquele tipo de curva que diferencia um bom piloto de um ótimo. O que faz de pé embaixo é ótimo. A Eau Rouge foi mudada para a prova de 1994, mas no ano seguinte os organizadores aumentaram a área de escape e recuperaram o desenho original. Um dos prazeres dos pilotos é completar a Eau Rouge sem aliviar o acelerador. A diversão dos jornalistas é se pendurar em um terraço da sala de imprensa, ouvindo o ronco dos motores, rolam até apostas sobre quais pilotos vão afundar o pé no acelerador e quais vão diminuir o ritmo.
A pista usa trechos de estradas locais que ligam as pequenas cidades da região da Floresta das Ardènnes, na Bélgica. Spa é uma delas e Francorchamps, outra. É também o circuito mais longo da F-1, com sete quilômetros de extensão.
O problema maior é o clima, sempre muito instável pelas características montanhosas da região. Não é raro chover em uma parte do circuito, enquanto o sol brilha do lado oposto.
Durante os anos 1930, os GPs de Motociclismo, as “24 horas de Francorchamps” e o GP da Bélgica eram os maiores eventos dos esportes a motor em todo o mundo. Até 1939, o circuito manteve seu desenho original e só então sofreu a sua primeira grande modificação, com a criação, para o GP da Bélgica, de uma curva artificial, que viria a se tornar das mais famosas do universo automobilístico, a “Eau Rouge”.
Durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945), o circuito esteve paralisado, mas em 1950 foi incluído entre os sete locais de disputa das prova do primeiro campeonato mundial de Fórmula 1.

Abraço e até a próxima!

Comentários