Michael Schumacher
Sexta, 03 de Janeiro de 2014

Há quem não conheça Michael Schumacher? É o ex-piloto da Fórmula 1 que se consagrou por obter sete títulos mundiais, e detém inúmeros recordes, incluindo voltas mais rápidas, maior número de campeonatos, vitórias, pole positions, pontos marcados e mais corridas ganhas em uma única temporada, assim como bater diversos recordes no automobilismo. O piloto deixou a Fórmula 1 em 2012 e desde então se dedica à prática de esportes radicais.

Fora das pistas, Schumacher é um embaixador da UNESCO, e ainda esteve envolvido em inúmeros esforços humanitários ao longo de sua história e doou dezenas de milhões de dólares para a caridade. 

A modalidade de esqui alpino é um dos hobbies favoritos de Schumacher desde os tempos em que competia pela Ferrari, equipe que tradicionalmente faz suas apresentações de pré-temporada na estação italiana de Madonna di Campiglio. Além do esqui, o ex-piloto alemão também costuma praticar paraquedismo, é adestadror de cavalos de raça, aeromodelista, além de praticar vários outros esportes radicais.

 O ex-piloto declarou, certa vez, que o esporte era uma das maneiras encontradas por ele para curtir a família, já que passava pouco tempo em casa devido às constantes viagens para disputar os GPs de Fórmula 1.

  O alemão é o piloto mais vitorioso da história da Fórmula 1, com 91 vitórias, 155 pódios, 68 poles e 77 voltas mais rápidas. Em 19 temporadas, ele conquistou dois títulos pela Benetton (1994 e 1995) e cinco pela Ferrari (de 2000 a 2004). Após a primeira aposentadoria ao fim de 2006, o piloto retornou à F-1 em 2010 pela Mercedes, mas em três temporadas só subiu ao pódio uma vez, com um terceiro lugar.

Às vésperas de completar 45 anos, Schumacher esquiava com a família em Méribel, nos Alpes da França no último domingo, 29, quando sofreu um grave acidente. O ex-piloto sofreu traumatismo craniano após ter caído e batido com a cabeça em uma pedra. A colisão resultou em um coma e o ex-piloto teve de ser submetido a uma neurocirurgia de emergência. 

Segundo informações divulgadas pelo hospital onde está internado, o estado clínico do piloto é grave e deve ser analisado para obter um diagnóstico preciso. Não há previsão de alta, aguardamos a recuperação do alemão para que volte acelerar nas pistas (a qual ele nunca abandonou) e a praticar todos seu hobbies.

 

 

Abraço e até a próxima!

Comentários