Alain Prost
Sexta, 21 de Fevereiro de 2014

Com uma carreira brilhante no automobilismo, Alain Marie Pascal Prost, foi quatro vezes campeão Mundial de Fórmula 1, considerado um dos mais bem sucedidos pilotos da categoria de todos os tempos. Durante sua carreira na F1, que foi de 1980 a 1993, ele venceu 51 Grandes Prêmios.

Nascido em 24 de Fevereiro de 1955 em Saint-Chamond, França, Prost distinguiu-se desde a infância por ser extremamente ativo e atlético, praticou vários esportes como luta, patinação e futebol, mas ao 14 anos descobriu o Kart. Logo, o automobilismo transformou-se em sua grande paixão, e, em 1974, abandonou a escola para dedicar-se em tempo integral.

Em 1975, ganhou o campeonato francês de Kart e, em 1976 e 1977, ganhou o Campeonato Europeu de Fórmula Renault antes de passar para a Fórmula Três, em 1978.

Sua primeira vitória foi a que todo piloto francês poderia sonhar: em solo francês, no Grande Prêmio da França de 1981, com um carro francês, o Renault. Ainda na Renault ele somou mais 8 vitórias ao seu currículo. Mas divergências com a equipe o fizeram regressar à McLaren, na qual somaria mais 30 vitórias e ganharia três títulos mundiais.

Numa passagem conturbada pela Ferrari, foi vice-campeão em 1990 e não competiu em 1992. Retornou em 1993, sagrando-se mais uma vez campeão, agora pela Williams, e encerrando no mesmo ano sua carreira.

 

Prost X Senna

Durante boa parte de sua carreira na Fórmula 1, houve grande rivalidade entre Alain Prost e Ayrton Senna, notadamente após o ano de 1988, quando ambos se tornaram companheiros de equipe na McLaren. A rivalidade entre eles é citada por muitos como uma das mais intensas da Fórmula 1 moderna. 

Essa “briga” atingiu os limites no fim de 1989, quando estava se decidindo o título entre Senna e Prost no Grande Prêmio do Japão de 1989, em Suzuka. As duas McLarens colidiram na chicane, quando Prost bloqueou uma tentativa de ultrapassagem de Senna. Prost saiu do carro, enquanto que Senna gesticulou para os que técnicos de pista empurrassem seu carro para retornar à pista, cortando pela chicane. Senna voltou aos boxes para trocar o bico avariado e continuar, enquanto que Prost se dirigiu à sala dos comissários para reportar que o corte pela chicane era uma manobra ilegal. Mesmo com Senna vencendo a corrida, os comissários entenderam que a manobra foi ilegal e Senna foi desclassificado. Após uma apelação mal sucedida pela McLaren, o brasileiro recebeu uma multa de US$100,000 e seis meses de suspensão.

Apesar de toda essa rivalidade, e acontecimentos com os dois pilotos, fica a certeza que o “nosso Senna do Brasil” sempre foi melhor que Prost.

 

Abraço, e até a próxima!

Comentários