Lendária Puma!
Sexta, 07 de Março de 2014

Motivado pelas corridas de automóveis, houve um grande interesse das grandes montadoras nacionais em promoverem os seus carros. Sabiam que colocar seus modernos automóveis em competições seria a prova definitiva da qualidade do produto. Então Willys, FNM, Simca e Vemag se apressaram em montar seus departamentos de competições, pois seria bom para o consumidor verificar o carro nas pistas para poder usá-lo nas ruas.

Então, em 1964, que Jorge Lettry, chefe de departamento de competições da Vemag, trocou ideias com Rino Malzoni, um fazendeiro do interior de São Paulo que gostava de criar carrocerias esportivas para mecânicas existentes do mercado. Foi aí que surgiu o Puma, numa pequena oficina de São Paulo, sendo o primeiro carro fora-de- série produzido do Brasil.

Feito em fibra de vidro, era equipado com motor Vemag (motor de três cilindros e linha de dois tempos) suas linhas lembravam a Ferrari já que se destinava às competições. Após grande sucesso nas pistas, ganhou as ruas conquistando especialmente os jovens que até hoje gostam desse carro por ter as suas linhas o formato de uma onda do mar. 

Em 1967 foram vendidas 125 unidades. Porém, mudanças no cenário automobilístico brasileiro começaram a ocorrer e uma delas foi a passagem do controle acionário da Vemag para a Volkswagen. Dessa forma, a Puma precisou escolher um outro conjunto mecânico para seus modelos. A escolha recaiu sobre o conjunto motor/câmbio/suspensão e plataforma do Karmann Ghia 1500. Afinal, era uma mecânica confiável e com grande rede de assistência técnica. Mas a mudança resultou em um novo carro desenvolvido rapidamente e apresentado à diretoria da Volks em março de 1968, quando então foi lançado no mercado o GT 1500. Era uma carroceria moderna e inspirada na Lamborghini Miura. Continuava um carro leve (640kg), custava o mesmo que dois Fuscas.

Em 1968 as vendas do GT 1500 foram de 151 unidades e em 1969, 272 veículos. Eram um sucesso, mas possuíam um motor de 60cv considerado fraco para o desenho do carro. Foi aí que a Puma começou a fabricar modelos com motores de maior cilindrada (até1800), até 1990 foram diversos modelos criados, e quase todos seguindo a linha esportiva.

Com a abertura do mercado interno no Brasil, vários carros começaram a chegar com melhor desempenho e qualidade, ofuscando o brilho dos novos esportivos Puma, que acabaram deixando de ser fabricados em 1990. Pouquíssimas unidades do AMV e AM3 chegaram a ser fabricadas.

Em 1998 a Ford comprou os direitos sobre o nome Puma, a fim de lançar um carro com esse nome. Os pequenos caminhões passaram então a trazer a marca AMV, mas o emblema do Puma continua presente.

 

Abraço e Até a próxima!

Comentários