GP de Mônaco
Sexta, 23 de Maio de 2014

Mônaco é o circuito mais curto e lento no calendário da Fórmula 1, mas é também um dos mais técnicos e exigentes. A proximidade das barreiras significa que não há espaço para erros e, com mais de 4.000 mudanças de marcha durante a corrida de 78 voltas, há grande ênfase na confiabilidade.

O traçado se manteve praticamente inalterado desde que o empresário francês Antony Nogues propôs a ideia de uma corrida ao príncipe Rainier em 1928. O primeiro GP de Mônaco foi encenado em abril do ano seguinte e a corrida foi posteriormente incluída no calendário do primeiro campeonato de F1 em 1950. Ela tem sido uma constante desde 1955.

A maior parte da pista de 3,34 km ganhou um novo asfalto, assim as equipes podem esperar que a nova pista superlisa esteja bastante escorregadia quando o TL1 começar na quinta-feira. O que será um contraste direto com a superfície velha e abrasiva de Barcelona, palco do GP da Espanha no início deste mês.

Com ênfase na tração e aderência mecânica de baixa velocidade, em Mônaco será a primeira vez que os carros usarão o composto supermacio nessa temporada. Para os pilotos não resta alternativa que não seja guiar a centímetros dos muros da pista. E as ultrapassagens só acontecem na marra.

Mônaco X Massa

Mônaco também é uma das corridas consideradas especiais por Felipe Massa, mesmo que ele nunca tenha vencido a disputa pelas ruas de Montecarlo o piloto brasileiro se sente em casa no Grande Prêmio. Conhecedor do circuito, Massa destacou os desafios que terá na pista e ressaltou a necessidade da Williams ter um carro estável para ser competitivo na corrida, ainda ressaltou sobre as curvas lentas do circuito, mas que exige muito foco, os muros são próximos, e leva tempo até se acostumar a pilotar por eles.

“Mônaco é um lugar especial, não existem pistas como essa no calendário e isso faz apreciá-la ainda mais” diz Felipe Massa

Abraço e Até a Próxima!


Comentários