Stock Show!
Sexta, 05 de Setembro de 2014

Quem assistiu à Stock Car no domingo, pôde sentir a adrenalina e emoção que foi a corrida, mesmo com o temporal que cobriu a pista e obrigou a direção de prova a interromper a competição, a qual era a etapa de Curitiba. Com o safety car na pista na maior parte do tempo, vários acidentes aconteceram no circuito paranaense. Quando a chuva se intensificou e o número de pedaços de carros na pista tornou a circulação inviável, os organizadores aceitaram os apelos dos pilotos e deram a bandeira vermelha, interrompendo a corrida na 12ª volta. Após mais de uma hora de paralisação, a organização da prova decidiu encerrar a primeira das duas provas do dia.

Os pilotos partiram para a volta de apresentação já debaixo de forte chuva. Pelo rádio, vários pilotos falavam às suas equipes que não havia condições de largar. Apesar dos apelos, a direção de prova decidiu manter a corrida e, após cinco voltas com o safety car, foi dada a largada. Como os pilotos previam, uma série de acidentes aconteceu em um curto espaço de tempo.

Com os carros já alinhados no grid, depois de a decisão oficial ser comunicada os pilotos receberam sinal verde para completar a rodada dupla da etapa. Sob auxílio do Safety car, a largada da corrida 2, teve duração de 20 minutos mais uma volta, e se deu com grid invertido entre os 10 primeiros colocados da primeira corrida.

Apesar de a chuva ter dado uma trégua, os pilotos ainda se depararam com água acumulada na pista e, principalmente o spray de água, que prejudica seriamente a visibilidade. Após 2 voltas os carros foram liberados para a disputa, o maior beneficiado com a relargada foi Rubens Barrichello, que declaradamente prefere guiar em condições adversas. O piloto não demorou para impor sua familiaridade com o piso molhado, ultrapassando Galid Osman e Sergio Jimenez até chegar na vice-liderança. A partir daí, iniciou-se um intenso duelo pela ponta.

Por vezes Ricardo Mauricio mudou seu traçado para defender a liderança das investidas de Rubens Barrichello. A ameaça se concretizou na 8ª volta, quando Rubinho assumiu a ponta. Só que Ricardinho, que havia largado na pole position não somente devolveu a ultrapassagem como também conseguiu, sem acionar o Botão Shell V-Power, abrir mais de 2 segundos de vantagem para Rubinho.

Apesar de a chuva ter voltado com intensidade, e a cortina d’água ser cada vez mais um complicador para os pilotos, o Safety car não foi mais acionado até o final de prova. Sem interrupções, Ricardo Maurício manteve a vantagem consolidada para vencer, de ponta a ponta, pela 4ª vez em Curitiba.

 

Abraço e até a próxima!

Comentários