Hamilton, o “dono” de Cingapura
Sexta, 26 de Setembro de 2014

E pra quem achou que o campeonato estava conspirando a favor do inglês Nico Rosberg, se enganou! Hamilton assumiu a liderança do campeonato mundial de Fórmula 1 após dominar o GP de Cingapura, enquanto viu seu rival e companheiro de equipe na Mercedes, Nico Rosberg, abandonar a prova com problemas técnicos. Rosberg estava 22 pontos à frente de Hamilton antes da 14ª etapa da temporada, mas agora está três pontos atrás de seu rival depois de uma corrida, digamos, um pouco desastrosa, os problemas de Rosberg começaram ainda antes da largada, quando sua equipe descobriu uma falha no W05 (modelo do carro de Nico) e foi forçada a trocar seu volante. O alemão então teve de largar dos boxes quando não conseguiu sair do grid na volta de formação.

Então a noite de Cingapura clareou para Hamilton, largando na polle, assumiu imediatamente a liderança, perseguido pela Red Bull de Sebastian Vettel e pela Ferrari de Fernando Alonso, enquanto os problemas técnicos de Rosberg continuaram, Hamilton parecia brincar na pista e via sua vitória com facilidade, mas sua superioridade ficou ameaçada quanto o safety car entrou devido aos destroços deixados pela quebra da asa dianteira da Force India de Sergio Perez na metade da prova, então a  Mercedes decidiu manter Hamilton (que ainda não havia utilizado o pneu de composto macio) na pista, o que exigiria uma parada em condições de corrida, então Hamilton começou a fazer voltas rápidas após a relargada na volta 38, a fim de abrir uma diferença grande o suficiente para voltar ainda na liderança, então abriu mais de 25 segundos sobre Vettel antes de fazer seu pit-stop final a nove voltas da bandeirada, mas não foi suficiente para mantê-lo na frente, Vettel assumiu a liderança, mas com pneus bem mais novos, Hamilton retomou a posição e seguiu tranquilo para vencer com 13.5s de vantagem.

 

Felipe Massa:

Seria difícil para Felipe repetir o pódio na etapa do GP de Cingapura, o circuito travado de Marina Bay não favorecia os carros do time britânico, em razão da exigência de grande carga aerodinâmica, e os colocavam atrás de Mercedes, RBR e Ferrari, mesmo assim, o piloto brasileiro conseguiu sair de lá com um proveitoso quinto lugar, graças à administração do desgaste dos pneus em uma arriscada estratégia. Apesar do resultado, o chefe de engenharia do time, Rob Smedley, rasgou elogios ao trabalho e esforço de Massa.

 

Abraço e até a próxima!

Comentários