2 de dezembro Dia Nacional do Samba
Sexta, 05 de Dezembro de 2014

Caros leitores, em 2013, através de um decreto lei, o Congresso Nacional instituiu o Dia Nacional do Samba a ser comemorado no dia 2 de dezembro de cada ano, um ato que veio para oficializar, em nível nacional, uma data que o mundo do Samba já comemorava, em todo o país, desde 1963. Dada a sua importância histórico-cultural, está sendo referenciada nesta coluna.

Mas antes, é de salientar que o Brasil é conhecido internacionalmente pelo Samba, como sendo um estilo musical e de dança típico, do país sendo o Carnaval a festividade em que este se torna ainda mais popular, virando o ritmo oficial da festa. Em termos de origem da data, entrando no site da Academia do Samba, pode-se encontrar o registro de um artigo de Paulo Eduardo Neves afirmando que, “De acordo com a lenda popular”, o Dia do Samba foi criado em homenagem ao sambista Ary Barroso, compositor da música “Na Baixa do Sapateiro”, uma ode à Salvador, capital da Bahia que em seus versos eterniza a Bahia como a “terra da felicidade”, e que o vereador baiano Luís Monteiro da Costa foi quem instituiu a data, marcando o dia em que Ary Barroso visitou a Bahia pela primeira vez, em 1940. Desde então, o Dia do Samba é comemorado principalmente em Salvador e no Rio de Janeiro, onde se organizam festas e shows em homenagem ao ritmo.

Entretanto, a realização em 1962, do 1º Congresso Nacional do Samba, patrocinado pela Confederação Brasileira das Escolas do Samba, Associação Brasileira das Escolas de Samba, Companhia de Defesa do Folclore Brasileiro, Conselho Nacional de Cultura e da Ordem dos Músicos do Brasil, que culminou com a elaboração da Carta do Samba, foi o ponto de partida para a elaboração e aprovação, pelos parlamentos de vários estados brasileiros, como Rio de Janeiro, Bahia, São Paulo, definindo o dia 2 de dezembro como Dia Nacional do Samba tornando a data popular, reconhecida e aceita em todo o país.

De acordo com o pesquisador Ricardo Cravo Albin, "Sinônimo de alegria e festa,” o Samba nem sempre foi visto com bons olhos. No início do século 20, o ritmo era marginalizado, seus seguidores e compositores sofriam preconceito, por razões históricas e também muito ao fato de suas raízes africanas. Somente a partir do governo de Getúlio Vargas é que houve a exaltação do Samba como símbolo da identidade nacional, ainda que muito do seu sentido original tenha se perdido e muitas letras modificadas. Desde então, o samba foi se popularizando por todo país e ganhando novas formas de ser feito, gerando seus subgêneros como: Samba enredo, Samba de partido alto, Samba de breque, Samba de gafieira, Sambalanço, Samba-funk, Samba choro, Samba canção, entre tantos outros.

Comentários