A independência da República do Congo
Sexta, 14 de Agosto de 2015

Prezados leitores, no dia 15 de agosto de 1960, resultado da luta permanente contra a dominação estrangeira e pelo direito à escolha de sua caminhada na senda das nações, o povo da república do Congo conquista a sua independência. Dada a importância da data para todos os povos amantes da liberdade, apresentamos por este meio um pouco do que foi este processo histórico.
Mas antes, vale indicar que a República do Congo é um país localizado no centro-oeste da Africa subsariana, sendo atravessada pelo equador e limitada a norte por Camarões e pela República Centro Africana, a leste e a sul pela República Democrática do Congo, separados pelo Rio Congo, a sul por Angola através do enclave de Cabinda e a oeste pelo Oceano Atlântico e pelo Gabão.
Antigamente, esse território era habitando por tribos de pigmeus e bosquímanos e, há cerca de 400 anos atrás, um reino foi estabelecido na região que se tornou o maior nessa parte da África. O reino do Kongo, que se estendia do Rio Congo inferior à atual Angola. O reino atingiu seu auge de poder e influência durante o século 16. No século seguinte, por causa dos problemas políticos e econômicos internos aliados ao envolvimento Europeu, ele se partiu e, finalmente, deixou de existir.
Os dados históricos indicam que em 1482 o português Diogo Cão avistou a foz do rio e estabeleceu relações amistosas com o manikongo, o senhor do Congo. Com isso, o Reino estabelece embaixada em Lisboa e adota o catolicismo como religião oficial. Os portugueses tentaram iniciar o processo de colonização, no entanto, os grupos locais resistiram e não permitiram tal acontecimento, porém, mercadores, sobretudo portugueses e franceses, estabeleceram estações comerciais e de escravos nos séculos 17 e 18 desencadeando um significativo tráfico negreiro durante cerca de 300 anos.
Em 1880, Pierre Savorgnan de Brazza, um francês de origem italiana, explorou a região no interior da costa. Os tratados que ele assinou com os governantes Batéké deram o controle francês sobre toda a área. Em 1903, a França deu status territorial e o nome de "Congo Médio" para a área que, juntamente com os territórios do Gabão, Chade e Ubangi-Shari, tornaram-se parte da África Equatorial Francesa em 1910. Essa integração permaneceu até 1958, quando foi dissolvida.
Assim, o Congo Médio tornou-se um membro totalmente autônomo da Comunidade Francesa denominado a partir de então por República do Congo. O território conquistou a independência total em 15 de Agosto de 1960 e, de 1970 a 1991, o país foi chamado de República Popular do Congo, voltando em seguida para o nome original. Hoje o país está em franco desenvolvimento, sendo membro de muitas organizações internacionais, nomeadamente a ONU, a União Africana, a Comunidade Econômica e Monetária da África Central e da Francofonia.

Comentários