Os Congressos de Cultura Negra das Américas: razões e importância histórica - 2
Sexta, 28 de Agosto de 2015

Prezados amigos, continuando com a descrição dos históricos Congressos de Cultura Negra das Américas, enquanto estratégias de luta dessa parcela da população pelo seu reconhecimento e afirmação social, vamos nesta edição apresentar o segundo Congresso destacando as suas principais reflexões e resoluções.
Assim, de 12 a 21 de março de 1980, com o tema a Identidade Cultural do Negro nas Américas, o segundo Congresso de Cultura Negra das Américas foi realizado na cidade do Panamá, reunindo mais de trezentos delegados, provenientes da América, África e Europa. Os congressistas debateram quatro subtemas tratando de questões relacionadas com a comunidade negra no continente, nomeadamente: Identificação Social na Estrutura de Classe; A Identidade Cultural do Negro na Educação Formal e Informal; Pluralismo Cultural e Unidade Nacional; e, As Perspectivas do Negro no Futuro das Américas.
Os debates dos diferentes temas resultaram na indicação de orientações gerais dos passos a seguir para uma maior inserção do negro na sociedade. A reflexão sobre a questão cultural afro-americana indicou três pontos estratégicos, a saber: 1. A urgência de se formular um projeto pedagógico, através do qual a participação da cultura negra da diáspora seja tão relevante na construção da identidade negra, quanto tem sido a cultura dominante na fragmentação e negação da identidade social do negro na diáspora. 2. Resgatar a visão de mundo subjacente a estas manifestações culturais, tendo presente a atualização das experiências de resistência negra. 3. Articular uma ação política que tome a dimensão cultural como ponto de partida.
Em relação aos movimentos sócio-políticos, igualmente tratados durante o Congresso, destacou-se algumas áreas, nas quais a reflexão e a ação se fazem necessárias, como por exemplo: a marginalização socioeconômica e cultural, os menores abandonados, a política partidária, a questão agrária, o desemprego, a situação da mulher, a violência policial, o extermínio do negro. Foram discutidas também, nesse mesmo Congresso, quatro outras questões: um projeto de organização internacional dos negros; a criação de uma associação internacional de negros; as relações África Afro América Latina; e, a presença da mulher negra.
Enfim, pode-se dizer que os Congressos de Cultura Negra sinalizaram uma fase importante do movimento afro-americano, ao mesmo tempo em que representaram a mobilização dos movimentos negros em cada país, também, foi fator de animação destes movimentos, representando, ainda, o crescimento da consciência negra em nível continental.

Comentários