11 de novembro: Dia da Independência de Angola
Sexta, 13 de Novembro de 2015

Prezados leitores. No dia 11 de novembro de 1975, o povo africano da República de Angola reconquista a independência do domínio colonial português. Dada a importância da data, vimos por este meio compartilhar esse acontecimento histórico com todos vocês.

Na época das grandes navegações, os portugueses chegaram à Angola cerca de 1480 e, desde então, Angola passou a ser território português do ultramar. A situação que prevaleceu durante a época colonial, como na maioria das colônias do mundo, era desigual, já que só se retirava de Angola aquilo que a metrópole precisava e não havia preocupações com a situação econômica e social da colônia. Em 1930, o controle da política e da economia da Angola era total por parte da metrópole.

Angola só conseguiu obter a sua independência ao preço de muita dor e de muitos sacrifícios. Com efeito, o regime então vigente em Portugal não tinha aceito descolonizar pacificamente as suas ex-colônias. Assim, aos nacionalistas africanos da Guiné-Bissau, Angola e Moçambique não restou outro caminho que não fosse o de pegar em armas e combater o colonialismo. Neste quadro surgem na Angola, nos anos 1950, as primeiras organizações políticas anticoloniais, nomeadamente a FNLA (Frente Nacional de Libertação de Angola), MPLA (Movimento Popular de Libertação de Angola), e depois, nos anos 1960, é criada a Unita (União Nacional para a Independência Total de Angola). 

Com isso estava se iniciando a luta armada de libertação do país, que durou aproximadamente 14 anos. A luta teve início em 4 de fevereiro de 1961, quando centenas de jovens ligados ao Movimento Popular de Libertação de Angola, armados de paus e catanas, atacaram diversos alvos em Luanda, entre os quais duas cadeias, nomeadamente a Casa de Reclusão e a cadeia de São Paulo e a rádio oficial de Angola, entre outros para libertar nacionalistas angolanos encarcerados pela polícia política colonialista, simbolizando o desencadear da luta armada de libertação nacional nas então colônias portuguesas africanas.

É de salientar que a intensidade da Luta Armada, o seu arrastamento e o elevado número de baixas nas tropas portuguesas contribuíram para o eclodir da Revolução dos Cravos em 25 de Abril de 1974, em Portugal. Ou seja, a queda do Governo Fascista de Portugal foi uma consequência das Guerras de Libertação Nacional nas então colônias de Angola, Guiné Bissau e Moçambique, acelerando, em consequência, o processo para independência desses países.

Assim, às 23h do dia 11 de novembro de 1975, Antonio Agostinho Neto, principal líder-dirigente do MPLA, proclama diante da África e do mundo a independência de Angola, tornando-se o primeiro presidente desta jovem nação. Entretanto, o novo governo teve de enfrentar durante longos anos uma oposição militar a qual foi submetido pela então Unita. Hoje o país vive em estado paz, de construção e de desenvolvimento.

Comentários