As comemorações do natal pelo mundo – 1
Sexta, 27 de Dezembro de 2013

Estimados leitores, a comemoração religiosa do Natal só foi iniciada no século 4 quando o papa Júlio I levou a cabo um estudo intensivo sobre a data de nascimento de Jesus Cristo e acabou por estabelecer oficialmente o dia 25 de dezembro para as celebrações. Durante os três primeiros séculos da nossa era, os cristãos não celebraram o Natal. A festa do Natal foi introduzida na Igreja Romana no século 4 e, somente no século V, foi estabelecida oficialmente como festa cristã.

O Natal é hoje uma festa comemorada no mundo todo. Não importa o idioma, a raça, a condição econômica, a idade ou o clima. Cor, alegria, esperança, amor, presentes, música criam o clima festivo desse evento universal e, cada país segue uma tradição, respeitando na linha evolutiva do tempo as lendas e os costumes elaborados pelos antepassados. Ou seja, embora a essência da festa de Natal seja a mesma em todo o mundo, cada país mantém uma tradição diferente, que ao longo dos anos vai passando de pai para filho. Apresentamos aqui e nas próximas edições, como a data é celebrada em algumas partes do planeta.

Estados Unidos – O Natal americano é rico em cor e brilho. Semanas antes do Natal, milhões de pessoas percorrem as ruas das cidades em busca dos presentes para a família. As decorações das lojas e Shopping Centers são conhecidas no mundo todo, ostentando arte e beleza e a música ecoando em toda a parte. Nas casas, a decoração com lâmpadas coloridas, bonecos de neve, velas vermelhas e guirlandas feitas de plantas verdes completam o clima natalino. É em Nova Iorque que se sente, no ar, o espírito natalino: avenidas amplamente iluminadas e enfeitadas artisticamente. Na véspera de Natal, vizinhos se unem para cantar “Christmas Carols” (canções de Natal), mostrando o espírito de confraternização. As crianças penduram meias na lareira e na manhã do dia 25 de dezembro abrem os presentes tão sonhados. O prato típico americano, o peru recheado acompanhado de frutas tropicais.

Japão – No Japão, onde só 1% da população é cristã, o Natal ganhou força graças à influência americana, depois da Segunda Grande Guerra. O Natal não é muito difundido, mas os japoneses abraçaram o ritual de troca de presentes, costume muito apreciado na cultura japonesa. Os japoneses enfeitam as casas, cantam músicas e servem peru. Outro hábito também terminou por encontrar abrigo entre os japoneses: como as bonecas que sempre foram muito valorizadas em suas tradições, o presépio encantou os japoneses, especialmente as meninas, que gostam de montar os seus próprios presépios. Em fim, os costumes ocidentais vivenciados na época natalina, em virtude de diferentes tradições religiosas não assumem grande importância. O significado maior fica por conta do Ano Novo, ocasião em que se faz a entrega dos presentes.

Comentários