Dia da Mulher Moçambicana
Sexta, 08 de Abril de 2016

Prezados leitores, na coluna desta semana estamos a trazer um pouco do marco histórico do surgimento do Dia da Mulher Moçambicana, comemorado no dia 7 de abril em Moçambique, um dos cinco países africanos de língua oficial portuguesa.

Mas antes, vale ressaltar que qualquer data comemorativa pretende invocar um acontecimento ou uma série de acontecimentos que marcaram a vida de um povo ou nação. Essa data se insere nesse âmbito, pois surgiu em memória a uma grande mulher que lutou pela liberdade de seu povo e pela emancipação das mulheres em Moçambique, Josina Machel. Ela foi uma das muitas jovens que decidiram integrar as fileiras da Frelimo – Frente de Libertação de Moçambique na luta pela independência de seu país.

Considerada modelo de inspiração do movimento de mulheres, durante a luta pela libertação desempenhou importantes funções, destacando-se o fato de ser membro fundador do Destacamento Feminino; chefe da seção dos assuntos sociais e da seção da mulher, no Departamento de Relações Exteriores da Frelimo, tendo impulsionado a criação do Centro Infantil de Nangade, em que elementos do destacamento feminino tomavam conta das crianças órfãs ou cujos pais estavam no combate pela libertação nacional.

Abordando a questão feminina e a sua participação na luta, Josina Machel escreveu: “Antes da luta, mesmo na nossa sociedade, as mulheres tinham posição inferior. Hoje, na Frelimo, a mulher moçambicana tem voz e um importante papel a desempenhar; pode exprimir as suas opiniões, tem liberdade de dizer o que quiser. Tem os mesmos direitos e deveres que qualquer outro militante, porque é moçambicana, porque no nosso partido não há discriminação baseada em sexo”.

Mesmo bastante doente, prosseguiu a sua atividade, participando na mobilização e consciencialização política das populações no norte do país. Veio a falecer em Dar-es-Salam, capital da Tanzânia a sete de Abril de 1971.

Em sua homenagem, segundo declaração do comitê central da Frelimo – Dezembro de 1972, o dia 7 de Abril designa-se como Dia da Mulher Moçambicana, porque “O Comitê Central, sob proposta das províncias e das mulheres moçambicanas, considerou o dia 7 de Abril, data do falecimento da camarada Josina Machel, (...) como Dia da Mulher Moçambicana, para recordar o exemplo de militante e sacrifício revolucionário que a vida da camarada Josina Machel demonstrou, tanto como militante clandestina sob a ocupação colonial, como no seio do destacamento feminino, onde o seu trabalho, pela revolução e pela emancipação da mulher em particular, constitui um exemplo para todos os militantes revolucionários.”.

Comentários