18 de abril, dia da Independência do Zimbabwe
Sexta, 22 de Abril de 2016

Prezados leitores, na coluna desta semana estamos a trazer um pouco do histórico do que foi o processo de luta do povo africano do Zimbabwe, que culminou com a reconquista da independência do país em 18 de abril de 1980.

A República do Zimbabwe é um país situado na parte sul do Continente africano, com 390.580 km², um pouco maior que o Estado de São Paulo, tendo fronteiras com a Zâmbia ao norte, a leste com Moçambique, a sul com a África do Sul e a oeste com o Botswana e a Namíbia. A maioria da população é de origem banto, sendo os Shonas os fundadores do primeiro Estado na região, e os Ndebele os principais grupos populacionais.

Os portugueses foram os primeiros europeus a tentarem uma colonização da parte costeira da região no século 16, tendo o interior permanecido livre até a chegada dos exploradores, missionários, caçadores de marfim e comerciantes. Os ingleses, sob o comando de Cecil Rhodes, começam a colonizar a região nos finais do século 19, tendo como principal motivação a exploração das riquezas naturais locais, sobretudo os minerais, cobiçados por europeus de várias nacionalidades.

A população resiste contra a dominação, tendo como resposta da parte dos colonizadores, massacres e torturas entre diversas violências e submissões. Em 1921 a colônia é proclamada com o nome de Rodésia do Sul em homenagem a Rhodes e, em 1953, o Reino Unido, como estratégia contra a ofensiva dos movimentos contra a dominação e segregação racial, cria a Federação da Rodésia e Niassalândia, constituída pela Rodésia do Norte (atual Zâmbia), Rodésia do Sul (atual Zimbabwe) e Niassalândia (atual Malaui).

No dia 11 de novembro de 1965, a minoria branca dominante do país e liderada por Ian Smith proclama unilateralmente a independência, não reconhecida pela comunidade internacional e pelo Reino Unido, tendo o país sido punido pelas Nações Unidas com sanções econômicas. Os principais movimentos de luta pela independência do país eram, nomeadamente, a União Nacional Africana do Zimbabwe – Zanu, liderada por Robert Mugabe – atual presidente do país – e a União Popular Africana do Zimbabwe – Zapu, liderada por Joshua Nkomo.

Para cerrar fileiras contra a dominação, as duas principais organizações políticas decidiram se unir na Zanu-FP (Frente Patriótica) que, em eleições realizadas em 1980, saem vitoriosos e declaram finalmente a independência em 18 de abril do mesmo ano, reconhecida internacionalmente, tendo na ocasião renomeado o nome do país para Zimbabwe. O nome significa “Casa de Pedra” na língua dos Shonas, sendo Robert Mugabe o seu primeiro presidente.

Comentários