Angola: 38 anos de Independência
Sexta, 08 de Novembro de 2013

Estimados leitores, a República de Angola, país africano de língua portuguesa, está a comemorar os seus 38 anos de independência e, dada a sua forte relação histórica, econômica e cultural com o Brasil, achamos por bem trazer um pouco do que foi esta conquista para o povo angolano.

Colônia de Portugal, com o início da presença portuguesa no século 15, mas com a delimitação do território apenas no início do século 20. Assim, em 1482, chega na foz do rio Congo uma frota portuguesa, comandada pelo navegador Diogo Cão que de imediato estabelece relações com o Reino do Congo. Perante a ameaça das outras potências coloniais, de se apropriarem de partes do território reclamado por Portugal, este país iniciou, na sequência da Conferência de Berlim, um esforço que visava a ocupação de todo o território da Angola atual.

Alcançada a desejada "ocupação efetiva", Portugal concentrou-se na consolidação do Estado colonial. Num lapso de tempo, foi edificada uma máquina administrativa dotada de uma capacidade significativa de controle e de gestão, garantindo o funcionamento de uma economia assente em dois pilares: o de uma imigração portuguesa que, em poucas décadas, fez subir a população europeia para mais de cem mil, com um forte componente empresarial, e o de uma população africana sem direito à cidadania, na sua maioria, remetida para uma pequena agricultura orientada para os produtos exigidos pelo colonizador (café, milho, sisal), pagando impostos e taxas de vária ordem, e muitas vezes obrigada, por circunstâncias econômicas e/ou pressão administrativa, a aceitar trabalhos assalariados geralmente mal pagos.

Nos anos 1950 começou a articular-se uma resistência multifacetada contra a dominação colonial, impulsionada pela descolonização que se havia iniciado no continente africano, depois do fim da Segunda Guerra Mundial, em 1945. Esta resistência, que visava a transformação da colônia de Angola em país independente, desembocou a partir de 1961 num combate armado contra Portugal que teve três principais protagonistas: o Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA); a Frente Nacional de Libertação de Angola (FNLA) e a União Nacional para a Independência Total de Angola (Unita).

Em 1974 acontece em Portugal a Revolução dos Cravos, que pôs fim à ditadura em Portugal, abrindo portas às negociações para conceder a independência às colônias portuguesas na África. Assim, após 14 anos de luta armada, nos dias 10 a 15 de Janeiro de 1975, foram celebrados os Acordos de Alvor, que levaram a independência de Angola, proclamada em 11 de novembro de 1975.

Amigos leitores, o Jantar africano da Associação Cultural está cada vez mais próximo. Vamos garantir em tempo a nossa presença neste dia muito especial.

Comentários