Violência: um fenômeno sócio-histórico dos povos
Sexta, 09 de Maio de 2014

Estimados leitores, dado o fato de a violência fazer parte da nossa realidade quotidiana, vamos tratar aqui deste assunto para que possamos entendê-lo, compreendê-lo e assim, poder combatê-lo com maior propriedade.

Antes de mais é preciso entender que a violência é um comportamento que propicia dano a outro ser vivo. Este termo deriva do Latim Violentia: vis, força e vigor, contra qualquer coisa ou pessoa. Está, portanto, ligada à questão de maus-tratos, agressões, etc., e é encontrada em diferentes tipos de sociedade, possuindo conceitos diferentes, sendo assim um fenômeno sócio-histórico.

A violência é uma realidade milenar, pois, ao longo dos tempos, tem circulado amplamente pela sociedade, abrangendo todas as Idades: Antiga, Média, Moderna e Contemporânea. Em todas elas, houve barbáries de alguma forma e sob vários aspectos e segmentos. Não se limita a uma só classe social, no entanto é mais evidenciada nas camadas populares onde o poder aquisitivo é muito baixo e as condições de vida são precárias.

E, como exemplo, citamos o livro da Bíblia repleto de lutas e guerras travadas pelo busca do poder religioso e da supremacia sobre povos e nações. O próprio Jesus Cristo foi vítima da violência humana, assim como todos os que decidiram lutar pela paz e por um mundo melhor no decorrer da história da humanidade. É o caso de Martin Luther King Jr, Gandy, Chico Mendes e outras personalidades que morreram por ideais humanitários e foram barbaramente violentados.

As revoluções armamentistas do mundo capitalista, os holocaustos sofridos pelos judeus e pelos negros, as duas grandes guerras mundiais, as colonizações de exploração, as cruzadas, etc, são bons exemplos de como a violência é um marco na história dos povos. Nos tempos pós-modernos a violência é mais sofisticada, por vezes, virtual e eletrônica; podendo afetar em curtíssimo espaço de tempo, o alvo desejado. Ou seja, a população mundial, vive hoje, sob a constante ameaça online, que caracteriza o terrorismo eletrônico.

De acordo com Ferreira (1998), a violência vivida pelo homem tem início desde o nascimento quando um ser é expulso do útero de sua mãe, onde recebia proteção, vindo para o meio exterior. Na infância, a criança é submetida à violência educacional, intelectual e cultural. Na adolescência, experimenta uma violência orgânica pelas transformações do corpo. Quando adulto, a violência vem como forma de impor ou reprimir escolhas, obrigações de horários, condições de trabalho e a prática do autoritarismo. E na morte a violência é dada como suprema e imposta à humanidade, deixando no ser humano, uma violência aberta.

Comentários