Os 50 anos da UA: Retrospectiva Histórica
Sexta, 06 de Junho de 2014

Estimados leitores, na continuidade do tema relativo às comemorações dos 50 anos da fundação da Organização da Unidade Africana, hoje União Africana, estamos trazendo aqui algumas datas e acontecimentos que marcaram esta entidade.

1963 – 25 de maio: 30 Estados africanos independentes fundam a Organização da Unidade Africana (OUA) na capital da Etiópia, Addis Abeba. O objetivo: promover a unidade do continente e defender a soberania e integridade territorial dos seus membros. Nesse mesmo ano, a OUA cria na Tanzânia um chamado “Comitê de Libertação”, que apoiou a luta contra o poder da minoria branca na Namíbia e na África do Sul e os demais movimentos de luta pela descolonização africana;

1980 – A OUA adota o “Plano de Ação de Lagos”, na Nigéria. O seu objetivo é aumentar a cooperação regional e lançar a primeira pedra para uma Comunidade Econômica Africana; 1989 – A “Comissão Africana dos Direitos Humanos e dos Povos” da OUA inicia os seus trabalhos.

1991 – Os Estados da OUA criam a Comunidade Econômica Africana (CEA) com o objetivo de formar um mercado único africano até 2025. A organização tomou como exemplo a Comunidade Econômica Europeia, precursora da União Europeia; 1994 – Depois do fim do regime do “apartheid”, a República da África do Sul torna-se membro da organização.

1999 – Numa cimeira extraordinária em Sirte, na Líbia, a OUA apela à criação de uma União Africana por iniciativa do antigo líder líbio, Mouammar Kadhafi. A ideia era a formação de um grupo de Estados com objetivos políticos comuns, similar à União Europeia.

2000 – O início de uma nova era: Numa reunião em Lomé, no Togo, os chefes de Estado e de Governo da OUA assinam o Ato Constitutivo da União Africana (UA);

2002 – Tem lugar a cimeira inaugural da União Africana em Durban (África do Sul). A sede da UA é em Addis Abeba (Etiópia).

2003 – A UA tem agora um Conselho de Segurança, a exemplo das Nações Unidas. O órgão é composto por 15 representares eleitos dos Estados-membros e pode conduzir intervenções militares e missões de paz na África – mesmo contra a vontade de algum membro; 

2012 – A ministra do Interior da África do Sul, Nkosazana Dlamini-Zuma, torna-se a primeira mulher a liderar a Comissão da UA, pela primeira vez na história da organização e, em 2013 – A UA tem 54 membros – todos os Estados africanos. 

 

Comentários