Sexta, 31 de Março de 2017 às 09:34
FW tem quase quatro vezes mais casos de estelionato
Nesta semana, uma idosa perdeu R$ 6 mil no golpe do bilhete premiado
Por: Cristiane Luza - cristiane.luz@folhadonoroeste.com.br
FOTO- Cristiane Luza

Solidariedade foi o que moveu uma idosa de 80 anos a querer ajudar um homem de meia idade, que se apresentou como doente e vítima de um incêndio ao abordá-la na rua por volta das 11h da manhã de segunda-feira, 27, em Frederico Westphalen. O que ela não esperava é que fosse se tornar vítima de um dos golpes mais famosos no Brasil: o do bilhete premiado.

Visivelmente abalada, a idosa contou a nossa reportagem que perdeu R$ 6 mil, que sacou em duas agências onde possui conta bancária. A suposta vítima de incêndio dizia que procurava um homem para pegar um prêmio que sua mãe teria ganho em uma compra. “Vão me dar R$ 8 mil, ele dizia. Dali a pouco surgiu um homem de uns 30 anos, bem vestido, perguntou o que estava acontecendo e se ofereceu para ajudar. Aí já mudou a história. [...] Não tinha me dado conta. Era um bilhete premiado e tinha um dinheirão para receber. Esse segundo, o 'poderoso', estava num carro prata, placas de São Paulo, que usaram para nos levar aos bancos e fugir”, contou a idosa.

Para retirar o prêmio, era necessário duas testemunhas e apresentar documentos, que o estelionatário alegava ter perdido no sinistro. Então a mulher falou que o ajudaria e sacou seu próprio dinheiro. “Ele dizia que me daria uma gorjeta, mas eu não queria nada, só pensava em ajudar. Fui enganada, e isso dói. Sempre ajudei todo mundo”, lamentou.

O caso foi registrado na Delegacia de Polícia Civil do município. O delegado Eduardo Nardi disse que geralmente as vítimas são idosas e os criminosos são de fora. “Sempre trabalhamos na identificação apresentando pessoas que praticam esse tipo de crime, com fotos de gente parecida com o suspeito para reconhecimento”, explicou. Referente ao caso desta semana, até o fechamento desta edição, ninguém havia sido preso.

A dica de segurança dada pela Brigada Militar é que idosos evitem andar sozinhos pela rua, seja para fazer compras ou pagamentos.

Mais de 450 casos em 11 anos

Tipificado pelo Artigo 171 do Código Penal, o estelionato consiste em obter vantagem sobre outra pessoa ao induzi-la ao erro por meio de fraudes. Contra idosos, a pena para o estelionatário é duplicada, podendo chegar a dez anos de prisão.

Em relação aos demais municípios da região, Frederico Westphalen tem mais população e circulação de pessoas, mas também maiores índices de criminalidade. Dos homicídios ao tráfico de drogas, o estelionato é um dos tipos de delito mais registrados e, no ano passado, chegou a ser quase quatro vezes maior quando comparado ao segundo município da lista, Tenente Portela. Em seguida, aparece Seberi. As informações foram apuradas por nossa reportagem com base nos dados mais recentes disponibilizados pela Secretaria da Segurança Pública.

Foram 463 casos em Frederico Westphalen de 2005 a 2016, sendo 47 deles no último ano. É o maior número nesse período e chegou à mesma marca em 2015 e 2007.

De 2005 a 2016, no total, foram 164 casos em Tenente Portela e 63 em Seberi, sendo que os dois fecharam o ano passado com 13 e 11 registros de estelionato, respectivamente.

Frederico Westphalen
De 2005 a 2015: 416 estelionatos
2016: 47 casos

Tenente Portela
De 2005 a 2015: 151 estelionatos
2016: 13 casos

Seberi
De 2005 a 2015: 52 estelionatos
2016: 11 casos

Comentários
Notícias Relacionadas
  • 03/01/2018 - 16:03
    Delegado dá dicas para identificar e evitar golpes
  • 22/09/2017 - 14:18
    Polícia prende investigado por estelionato
  • 21/07/2017 - 17:52
    Golpe da ação entre amigos
Últimas Notícias
  • 21/01/2018 - 13:50
    Devoção e fé na procissão de Nossa Senhora da Paz
  • 21/01/2018 - 13:40
    Saiba como pedir um telefone fixo Popular por R$ 15,40
  • 21/01/2018 - 13:33
    PRF divulga portaria que restringe circulação de veículos de ca...