Terça, 27 de Junho de 2017 às 21:06
Vítima conta como caiu no golpe do carro quebrado
Estelionatário se apresentou como um primo distante que faria uma visita, mas quebrou o carro na estrada
Por: Cristiane Luza - cristiane.luza@folhadonoroeste.com.br
Comerciante ficou surpresa ao ver que o criminoso possuía até seu número de WhatsApp. FOTO - Cristiane Luza

Mais de R$ 12,7 mil, somados, foi o que tiveram de prejuízo dois moradores de Frederico Westphalen vítimas de estelionato neste mês, num intervalo de quatro dias na semana passada. Somente um deles perdeu mais de R$ 11 mil.

A história é antiga e parecida: um parente distante que está vindo fazer uma visita e acaba quebrando o carro na estrada, por isso liga desesperadamente em busca de ajuda em dinheiro. O baque só vem depois, quando o familiar nunca chega ao destino prometido. "Na hora do nervosismo, as pessoas nem notam a diferença na voz", comentou um inspetor da Delegacia de Polícia Civil, onde os casos foram registrados. A orientação é sempre desconfiar e telefonar aos familiares para verificar se, de fato, a viagem existe.

Comerciante, uma mulher de 55 anos perdeu R$ 1.230 na sexta-feira, 23 de junho. Fazendo-se passar por um primo do Mato Grosso, o criminoso ligou para o telefone da mãe da vítima, de 80 anos. Segundo a Brigada Militar, os mais velhos são os mais visados por muitas vezes sentirem falta de conversar com alguém, por isso se torna importante alertá-los para não falarem com estranhos, uma vez que recuperação de dinheiro é quase impossível.

A idosa repassou a ligação para a filha, que desconfiou que fosse golpe e foi desencorajada no banco, mas efetuou o depósito ao ser convencida pela irmã. O valor seria destinado ao pagamento do guincho.

A ficha caiu quando o falso primo tornou a ligar 20 minutos depois solicitando mais R$ 1,9 mil. Outro ponto que a assustou foi o fato de o estelionatário saber mais detalhes sobre ela e sua família e continuar insistindo via WhatsApp, inclusive por ter seu telefone.

Tipificado pelo Artigo 171 do Código Penal, o estelionato consiste em obter vantagem sobre outra pessoa ao induzi-la ao erro por meio de fraudes. Contra idosos, a pena para o estelionatário é duplicada, podendo chegar a dez anos de prisão.

No ano passado, o número de estelionatos registrados em Frederico Westphalen chegou a ser quase quatro vezes maior quando comparado ao segundo município da região na lista, Tenente Portela.

Mais informações na edição impressa da próxima sexta-feira, 30 de junho.

Comentários
Notícias Relacionadas
  • 03/01/2018 - 16:03
    Delegado dá dicas para identificar e evitar golpes
  • 22/09/2017 - 14:18
    Polícia prende investigado por estelionato
  • 21/07/2017 - 17:52
    Golpe da ação entre amigos
Últimas Notícias
  • 23/01/2018 - 19:50
    Planalto: melhorias nas estradas do interior
  • 23/01/2018 - 19:30
    Abertas as incrições para processo seletivo em Ametista
  • 23/01/2018 - 19:26
    Por que a passarela ainda não saiu?