A sociedade mundial está caminhando num rumo muito perigoso, a cada ano que passa as nossas crianças e jovens praticam menos atividades físicas, aumentando o sedentarismo e todos os males que aparecem junto.

O que posso falar e com muita preocupação é que testes físico-motores criados e aplicados em crianças há muitos anos demonstram resultados muito preocupantes. Se compararmos os resultados de 10, 20 anos atrás com os atuais nas mesmas faixas etárias, estas resultam num decréscimo dos valores conseguidos com o passar dos anos.

Ou seja, antigamente era muito mais fácil atingir bons valores nos testes do que atualmente, então as crianças e jovens de anos atrás possuíam muito mais domínio do corpo e suas capacidades físicas eram bem mais desenvolvidas.

Podemos ver nas crianças e jovens atualmente muito mais distúrbios metabólicos e as doenças associadas a estes do que antigamente (obesidade, pressão alta, diabetes, entre outras), estas doenças eram associadas a pessoas mais velhas e hoje são encontradas com mais frequência na população mais jovem.

Podemos elencar como grandes vilões desses problemas, a má alimentação e o sedentarismo. Sobre a alimentação sabemos que hoje temos uma variedade muito maior de alimentos industrializados do que antigamente, apesar de serem atrativos e saborosos não são os mais saudáveis e bem pelo contrário, podendo ser prejudiciais a saúde.

O sedentarismo é para mim o grande mal da atualidade, antigamente os pais tinham que ir na rua atrás dos filhos para busca-los para casa, atualmente eles precisam correr com eles de casa para que estes jovens peguem um ar puro, um pouco de sol e façam alguma atividade física.

São várias causas, pais extremamente ocupados nos seus afazeres diários (pouco tempo para os filhos), poucos lugares seguros para as crianças brincarem, muitas coisas que atraem o interesse desse público jovem e que não são saudáveis (é só ver o tempo em que eles passam inertes na frente de uma tela de computador, celular e TV). 

Clubes, escolinhas, academias são opções de atividades físicas, porém muitas vezes são poucas horas de atividades semanais. Além do mais, às vezes, alguns locais mesmo atendendo estes públicos são inadequados para crianças.

Quando dava aula de personal, tinha uma aluna (mulher adulta) de baixa estatura, tinha que adaptar em alguns exercícios na musculação para atender as necessidades e segurança na realização dos treinos. Muitos aparelhos de musculação não são criados para atender pessoas de pouca estatura como crianças, nem em sua biomecânica e nem em suas cargas e isso pode ser prejudicial (existem aparelhos que são ajustáveis e atendem este público, mas não são comuns na maioria das academias).

Não que seja impossível trabalhar em academia, mas é fundamental ter profissionais preparados para lidar com essa situação. Treinar com pessoas adultas e saudáveis é mais fácil, pois se adaptam melhor as cargas e não possuem restrições. Já grupos com alguma limitação e restrição (como as crianças), necessitam de mais conhecimento do profissional para ser efetivo e prevenir lesões.

Antigamente ter uma criança gordinha era sinal de saúde, era bonito. Mas isso hoje esconde um grande problema futuro, ter um excesso de peso nos primeiros anos e caminhando para um sedentarismo nas idades maiores acarretará vários problemas de saúde com o passar dos anos.

Precisamos ter muito cuidado, pois estamos indo num caminho muito perigoso e que talvez num futuro próximo estejamos na velhice cuidando de nossos filhos mais doentes que nós.

Abraço!!!