Ouvindo Eagles – Hotel Califórnia

Sempre existiram pessoas que desde as pequenas junções ao redor de fogueira proferiram meias verdades, elaborados discursos, baseados principalmente em crenças vesgas, costumes arraigados ou mesmo entre aqueles de pouco lume, que por falta de oportunidade e finalizando na preguiça de expor suas ideias.

Nas sociedades tribais, os mais fortes venciam, baseados principalmente pelo bom uso que faziam dos bíceps. As sociedades foram evoluindo, nem todas na verdade, mas de bengala em bengala foram se transformando por vezes pela força da crença, em outras pelo fanatismo que naturalmente ocorre aqui, ali e lá. Quando o lume permeou essas sociedades, alguns perceberam e mudaram, outros ainda não, insistindo em queimar as almas que encontram iluminação em outras vertentes.

Ouço falar há tempo que quando morre um velho, queima-se uma biblioteca. Percebo há muitas luas o efeito disso. Sempre apreciei a conversa com gente mais experiente, desde cedo troquei ideias com gentes assim, para minha fortuna, consegui ver em tempo.

O Olhar, as observações, e a forma de falar dizem muito mais do que se ouve. Traz no bojo da narrativa o gosto, a observação no fio do tempo. Prestei atenção no conteúdo, nem sempre palavra de douto, mas com certeza ditas do fundo do peito e da forma como viram a estória se desenrolar.

Naturalmente existem pessoas com o dom da oratória, ou mesmo aquelas que pela prática a desenvolvem, ouça e pesquise, tire informações sobre aquilo que ouviu.

Muitas vezes “a verdade” falada é um tanto “dourada” por quem falou.

Da velha máxima aquela: A Estória das guerras é sempre contada por quem venceu.

Se desta forma a sociedade se ocupar de preservar este ato, de puro tato , de atenção com esses imensos contenidos de informação enfim poderemos utilizar o conhecimento adquirido, por vezes a ferro e fogo e, em outras de puro vislumbre de tantos nasceres e ocasos, que mesmo o céu do sertão será pequeno em quantidade de lume.

Não deixa para depois, trata de ouvir essas gentes.

Daqui a pouco o tempo escorre e, infelizmente eles se calam, com raras exceções que são exatamente na palavra daqueles que os ouviram.

Torna melhor e mais aprazível teu existir, perceba, enquanto há tempo.

Depois, será apenas lamento, e os ouço, todos os dias daqueles que não ouviram.

Abraço aos bons.