Estamos nos encaminhando para mais um final de ano. Para mais uma página da nossa história que já foi escrita, escrita por cada um de nós, onde somos atores principais, coadjuvantes ou meros figurantes.

Quem define o papel que iremos ocupar na história, que é escrita da nossa vida, somos nós mesmos. Pois cada dia recebemos de crédito 24 horas, que somos nós que definimos o que iremos fazer, como iremos fazer, de que forma queremos que seja escrita e o que precisa ser editado para as próximas 24 horas do dia seguinte.

Como você está escrevendo sua história? Que papel você está ocupando na sua história? Está preocupando-se em agradar a quem? A você mesmo? A sua família? Seus chefes? A sociedade? Essa semana em uma festa de aniversário de uma amiga que estava celebrando mais um ano de vida, conversamos com as amigas sobre algumas questões do modo de pensar, agir e conviver em sociedade, uma amiga disse, meu lema de vida é: “Ninguém me deve nada!”. Que ela faz as coisas pelo certo, pela sua felicidade, sem esperar nada de retorno e reconhecimento de ninguém.

E você? Escreve sua história esperando reconhecimento de quem? Está tentando agradar a quem? A você mesma ou a sociedade que nos “impõem” modelos de viver, agir e nos portar? Nos deparamos diariamente com pessoas tentando “vender” em suas redes sociais uma vida que não é dela, preocupando-se em “mostrar” para a sociedade onde foi, o que fez, com quem estava etc, ficando a maior parte do tempo nas redes sociais e não aproveitando o momento com as pessoas que estão fisicamente do seu lado.

Será que é isso que quero escrever em minha história de vida? Qual o filme/história que quero recordar daqui a 10 anos, 15 anos? Será que serão essas as lembranças que vou querer recordar na minha velhice? Ainda estamos em tempo de rever conceitos, posicionamentos e redefinirmos nosso propósito de vida. Nós somos os escritores da nossa história, cabe a nós dizer qual o papel que iremos ocupar nesta história, o que não podemos deixar acontecer é que os outros escrevam a nossa história e no final, nos darmos conta que não era essa a história que Eu queria para mim.

Estamos nos aproximando de mais um final de ano, muitos já fizeram aniversário, outros ainda vão fazer, mas sempre quando celebramos mais um ano de vida, abrindo mais um capítulo em branco em nossa vida, como dizem alguns pensadores. Cabe a nós fazermos uma reflexão e darmos continuidade ou mudarmos o rumo da história de nossa vida, que está sendo escrita capítulo por capítulo, 24 horas por dia, 365 dias por ano, aqui falo da nossa história de vida pessoal, profissional, afetiva e emocional.

Sejamos os principais atores da nossa vida, não vamos “terceirizar” a nossa história para ser escrita por outras pessoas, sejamos nós os escritores e que possamos selecionar os demais atores com os devidos papéis que devem ocupar em nossa vida. Que possamos encontrar a nossa realização pessoal e profissional diariamente. Felicidades a todos nós.