Na edição passada eu dei a letra por aqui. Foi uma letra tipo “desabafo” com aquele toque de realidade. Para hoje, trago alguns dados que chamam atenção quando paramos para compreender o que envolve o empreendedorismo na atualidade.

Pega a visão aqui: o século XXI é chamado de “o século do empreendimento”. São cerca de 27 milhões de pessoas envolvidas num negócio próprio ou na criação de um, o Brasil ocupa a terceira posição no ranking mundial de empreendedorismo. O país fica atrás da China, com 369 milhões de empresários e Estados Unidos, com 39 milhões de empreendedores. Um em cada quatro brasileiros adultos é dono do próprio negócio. A conclusão é de uma recente pesquisa realizada pelo Global Entrepreneurship Monitor, um levantamento anual tocado por meio de uma força-tarefa entre instituições de ensino e de pesquisa de 54 países, considerado o principal mapa do empreendedorismo do planeta.

Com base nestes dados, podemos ter uma ideia de como o nosso país é empreendedor, não é a toa que o que mais vemos por ai é cidadãos abrindo o seu próprio negócio. Após isso, podemos ir além e fazer uma comparação da pesquisa acima, como a seguinte informação: Segundo dados do SEBRAE, 95% das empresas novatas declaram falência no seu 1° ano de atividade. Esse tipo de dado chega a ser assustador. Refletindo sobre estas duas pesquisas, pensamos: O que será que acontece? Porque uma porcentagem muito grande de empresas novas no mercado que entram em operação não consegue ir além nos seus negócios no 1° ano? Pois bem, devemos entender que abrir uma empresa não é simplesmente obter um CNPJ, uma I.E. e, sair por ai operando, existem muitos fatores que se ignorados poderão comprometer a inicial vida da empresa, e todo o sonho empreendedor ir por água à baixo.

Vamos a um exemplo de empreender por tendência de mercado. Os mercados mais comuns como supermercado, farmácia, posto de gasolina etc, não são tendências, já se tornaram comuns e necessários. O futuro empreendedor que deseja empreender uma tendência deve ser analítico, observador e comparador. Para captarmos uma tendência, devemos pensar nos clientes, nos tipos de clientes, na sociedade e analisar estes por um período para verificar se a tendência realmente é uma tendência. Podemos usar como referência as empresas de produtos naturais e/ou as empresas de produtos mais voltados para a alimentação saudável, como as empresas de pães (centeio, 9grãos, preto, etc.), este tipo de produção com certeza é uma tendência de mercado, pois cada vez mais as pessoas querem viver por mais tempo, assim, se alimentar de forma adequada irá trazer muitos benefícios para a saúde.

Em seguida também podemos usar o próprio exemplo da grande tendência descoberta pelo pessoal da gastronomia. A necessidade de busca por receitas rápidas e até o ensinamento do modo de preparação de determinados pratos, vem sendo uma grande tendência de mercado por muitos motivos, tais como o grande número de jovens na cozinha (a maioria sem experiência).

Agora que já descobrimos como analisar uma tendência, vamos ver o que é necessário para que dê certo o empreendimento. Temos um grande número de cuidados a ser tomado para que tudo ocorra bem. Veremos alguns:

*Visão de mercado: O empreendedor deve refletir no amanhã, descobrir o que o cliente busca e assim fazer o possível para que satisfazê-lo, se adequar às mudanças, o mercado muda muito e a todo instante;

*Observar oportunidades: Como vimos no tópico anterior “o mercado muda muito e a todo instante”, em meio a tanta mudança, com certeza o concorrente vai deixar de satisfazer o cliente em algum ponto, neste caso a observação é muito importante, pois as oportunidades de surpreender o cliente vem deste quesito;

*Planejamento Estratégico: O Planejamento Estratégico, é sem dúvidas um mapa que toda empresa deve possuir (principalmente quando estamos iniciando no mundo empreendedor), pois é através dele que o empreendedor vai definir a organização da empresa, metas etc, assim ficando mais fácil o acompanhamento do resultado;

*Controle: O controle é essencial, controlar custos e despesas é de extrema importância para a empresa, com este controle é possível trabalhar em cima para a redução das mesmas (os);

*Ousadia: O empreendedor deve ser ousado, buscar fazer além da concorrência em prol do cliente torna a empresa com a clientela fiel, esta ousadia não quer dizer investir todo o lucro do dia para a noite, também é necessário que cada passo ousado seja estudado e repensado antes de colocado em ação;

*Empreendedorismo: O empreendedorismo é muito abrangente, podemos citar muitas qualidades empreendedoras fora as que estão acima, mas vamos citar mais algumas:

O empreendedor deve saber que sua real necessidade não é o lucro, deve entender que o que faz a sua empresa girar e andar para frente é o cliente, portanto os cuidados e foco devem ser totalmente voltados para o cliente, no mercado atual temos muitas empresas que investem em seus colaboradores na área de capacitação de atendimento, com a ideia de fazer com que seus colaboradores tenham o mesmo entendimento sobre o que é um cliente, este tipo de investimento é muito interessante e rentável para a vida da organização.