Cada vez mais estamos compartilhando coisas, informações, ideias, projetos e ações. O momento é de saber lidar com este tempo de tantas trocas entre as pessoas.
Internet: Na internet trocamos fotos que nem sempre fortalecem a nossa imagem e muitas vezes até impactam negativamente o nosso convívio familiar. Ouvimos músicas que falam muito sobre quem somos. A grande pergunta é se tudo o que revelamos na web tem congruência com a nossa verdade.

Cotidiano: No jantar e nos encontros com outras pessoas, adicionamos as pessoas aos nossos perfis de redes sociais e automaticamente estamos trocando informações em tempo real, que geram assunto na hora da conversa. Hoje, é quase impossível um jovem que quer puxar um assunto com seu amor platônico não ter o que falar, porque se ele der uma simples pesquisada na pessoa amada, logo terá diversos assuntos para abordar, surpreendendo a pessoa. Antigamente nem a pessoa mais próxima do meu esposo saberia me passar informações a seu respeito. Como era difícil saber o que ele gostava, o que comia, que filmes assistia? As informações eram fechadas! Hoje está tudo aberto.

As informações estão disponíveis para qualquer pessoa acessar, o grande detalhe é: o que queremos abrir? Talvez a grande discussão do momento gire em torno da reputação, isto é, como a minha imagem é concebida pelas outras pessoas e quem realmente eu sou.

Imagem: A imagem é o resultado do que estou comunicando às pessoas. Muitas pessoas são boas, mas não comunicam isso de forma eficaz. Outras não são tão boazinhas e passam uma imagem que beira o endeusamento. Quero dizer que pela ignorância, muitas vezes, uma pessoa pode passar algo que não deseja conscientemente e causar assim impactos negativos para a sua vida e para as suas relações interpessoais.

Uma pessoa passa diversas informações sobre quem é. Agora, imagina todas as informações do Facebook, dos vídeos do Youtube, do Instagram, nossa! Ela irá passar praticamente tudo! Será que está disposta a sofrer as consequências disto?

Identidade: A identidade é quem nós somos. Nosso íntimo lugar do coração. Esta identidade deve ser analisada todos os dias para saber se no fundo somos pessoas verdadeiras e agradáveis. Na nossa identidade mora o nosso caráter, os nossos valores, as nossas verdadeiras escolhas, por isso, a identidade pode ser monitorada todos os dias por nós mesmos, sendo tratada nas fraquezas de controle emocional ou outras dificuldades, para que um dia ela não seja revelada na imagem externa que poderá bloquear nossos sonhos e projetos.