Finalizando mais uma edição dos jogos olímpicos venho fazer uma breve análise da participação do Brasil nos jogos. Como alguém ligado ao esporte e acreditando no poder transformador que ele exerce, preciso fazer alguns questionamentos que para mim são importantes.

Fato importante é que conseguimos ficar na 12ª posição com 21 medalhas no total (7 ouros, 6 pratas e 8 bronzes). Acompanhando os programas esportivos escutei comentários de que fomos muito bem porque fomos mais efetivos, tivemos menos investimento e mais conquistas, será mesmo?

Três fatos marcantes nesta campanha do Brasil foram a maior quantidade de medalhas conquistadas por mulheres, outro fato é de conquistarmos 4 medalhas (1 ouro e 3 pratas) em esportes novos na competição, o surf e o skate e a terceira é da grande maioria das medalhas serem em esportes individuais (em muitos destes  com menos estrutura e mais superação).

Vamos para algumas modalidades, na natação, judô, atletismo e ginástica conseguimos medalhas nas últimas edições, temos grandes clubes esportivos e particulares que desenvolvem muitos atletas, mas numa quantidade pequena em relação aos outros esportes. Estas instituições sofrem com a falta de investimentos no decorrer dos anos e mesmo assim desenvolvem grandes valores. Ainda no atletismo, acredito que temos muito mais praticantes e em diversas modalidades, mas menos locais estruturados para desenvolvimento destes atletas.

Tivemos medalhas no boxe ( 2 BA, 1 SP), ai entra um aspecto cultural muito importante, o Estado que mais investe no Boxe nacional é a Bahia, o Campeonato Estadual mais representativo é o de lá, um esporte que perdeu um pouco da visibilidade com as lutas de MMA, mas que segue desenvolvendo bastante atletas por lá .

Os esportes coletivos onde geralmente somos referência como o futebol e vôlei trouxeram menos medalhas que o esperado (futebol masculino e vôlei feminino). Não acompanho o vôlei de praia, mas escutei muitas dificuldades das duplas nas questões de investimento, assim como basquete e handebol. Não falo de investimento apenas para essas equipes que estão disputando os jogos, mas sim investimento na formação de atletas, que é fundamental.

Os jogos olímpicos para quem é apaixonado pelo esporte são cativantes e atraentes, me pego assistindo e torcendo por esportes que não tenho o hábito, até por ser um ambiente diferente. Torcemos para tudo onde tem disputas de brasileiros até porque, quanto mais conquistas mais destaque o Brasil consegue no quadro de medalhas. Analisamos as possibilidades de medalhas, vibramos com as conquistas, criamos novas referências, nos solidarizamos com as derrotas e muito com as histórias de vida de cada atleta.

São criadas novas referências no esporte e a paixão pelas práticas torna-se mais forte, seria um momento ótimo para inserir o esporte na sociedade de uma forma mais forte, principalmente com crianças e jovens que ainda sentem-se cativados pelos jogos. A formação do ídolo de amanhã se faz hoje.

Estes jogos me provaram que o melhor do Brasil são os brasileiros, o crescimento e conquistas de nossas atletas e as medalhas vindo em sua grande maioria de esportes individuais e de mulheres demonstram que mesmo com as dificuldades conseguimos criar grandes guerreiros(as), que superam seus adversários atletas com uma gana de quem já superaram dificuldades muito maiores na vida.

Esporte educa, cria valores, desenvolve e forma melhores cidadãos, quem sabe possamos ver o país investindo em seus jovens com esporte e educação e ai veremos realmente uma grande potência aparecer, algo muito maior do que a visão simplista de nos acharmos evoluindo por conquistarmos mais medalhas.

Abraços!!!!