Em tempos de mudanças, polarização e transição, buscarmos novos espaços e narrativas que ecoam o desejo de mudar o mundo. 

As utopias são um convite para imaginar e reinventar novos mundos. Elas nos ajudam a projetar realidades inspiradoras e nos reconectam com a liberdade do sonho e da criação. Em torno delas é possível explorar formas de experimentação que nos aproximam destes ideais.

A utopia de um mundo melhor e mais humano, em sintonia com as novas demandas e necessidades, propõe uma reflexão sobre onde estamos e o que queremos alcançar com as nossas ações. Qual é o propósito e a intenção que move o fazer e a realização? Não existem respostas prontas.

Moda não existe por si só.  Moda, por definição, impulsiona a inovação a serviço de uma ideia, um sonho, uma intenção. Moda é coletivo por natureza, resultado de muitas mãos e muitas cabeças. Desfiles são exposições que validam a criação e a narrativa, com dezenas de desdobramentos digitais, cenas, registros fotográficos, vídeos, avaliações textuais. Tudo isso para ser compartilhado e debatido, como um espaço aberto para a co-criação. Um campo para ação e produção de cultura contemporânea.

A cultura da moda rumo ao futuro dialoga com transparência com as novas gerações. Elas têm o vigor e a coragem do risco, de se posicionar ativamente, materializando ideias de igualdade e diversidade e o desejo de por os novos modelos e parcerias mais conscientes e sustentáveis.

Pela primeira vez, o SPFW propôs uma pergunta como tema: qual é a sua utopia? Para mim, a pergunta foi tão pertinente que me fez pensar na projeção deste mundo que eu acredito que seja possível construir a partir de agora. Um mundo que tem na criação o seu ponto central.  Nós podemos fazer um mundo melhor! Esta é a minha utopia.