Os álbuns vêm fazendo a cabeça de muitas pessoas do mundo todo, e tudo começou quando uma empresa Italiana em 1970, no mundial do México, fabricou os primeiros álbuns e figurinhas. Hoje, a empresa fabrica cerca de um milhão de envelopes com adesivos e figurinhas que são distribuídos em vários países.

Na primeira edição contou com álbum com 270 adesivos, já na última edição, na Copa do Mundo da África do Sul em 2010, contou com 640 adesivos. Para a Copa brasileira a grande novidade é o álbum virtual, que estará disponível em aplicativos para smartphones e tablets, e nas plataformas IOS e Android. Para quem completar até 31 de agosto participará de um sorteio de 250 prêmios, sendo 50 prêmios principais e 50 de consolação. 

A edição do álbum alusivo a Copa do Mundo 2014 no Brasil, destaca-se em trazer muitas fotos em forma de figurinhas das 32 seleções participantes do torneio, entre elas, dos 11 jogadores titulares, da mascote oficial, da bola, do troféu e dos logotipos de cada federação. 

A mania dos cromos contagia a todos, não só homens e mulheres, mas o público-alvo, as crianças, que por sua vez, a maior alegria é abrir o tão famoso envelope de figurinhas pois é uma grande surpresa, ninguém sabe o que virá. A segunda grande emoção é a troca de figurinhas repetidas com coleguinhas e amigos. Entre eles, acontece uma disputa de quem encontrou determinado jogador. Para os pais, os álbuns também são garantia de diversão, já que quando eram crianças muitos também colecionavam álbuns de figurinha, e agora podem ajudar seus filhos a completarem também.

Diversão nas escolas

Em Frederico Westphalen a febre já invadiu escolas, universidades, bares e casas. Na escola Nossa Senhora Auxiliadora não é diferente, alunos do ensino fundamental do turno da tarde se divertem com as famosas figurinhas dos craques de futebol. Ao final da aula e no intervalo, os colegas começam a fazer a tão esperada hora de trocar as figurinhas e colar em seus respectivos álbuns. Segundo alguns pais, o fato de ajudar os filhos a comercializarem as figurinhas estimula as crianças a conhecer as estrelas da próxima Copa do Mundo, além de proporcionar a integração entre eles, assim acabam descobrindo os nomes dos países em várias línguas e conhecendo novas culturas. Eles ficam conhecendo sobre o próprio mundial, jogos, estádios enfim, sendo um ótimo aprendizado, e claro, sem contar na disputa saudável e amigável. A grande maioria está com seu álbum quase completo, sendo essa a ambição de cada um", relataram os pais.

Para colecionadores mais experientes o simples fato de passar para os filhos já é uma grande conquista, pois passam de geração a geração, e frisam que qualquer esforço é válido para completar a coleção. Em Frederico Westphalen, o álbum pode ser encontrado na Vitrola.

Renato Padilha FOTO: Almir Felin